Câmara de Lisboa com “um dos maiores orçamentos de sempre”

  • Lusa
  • 15 Outubro 2018

"Com este orçamento, o município de Lisboa tem plena consciência na exigência que lhe está a ser colocada para o executar", afirmou o vereador das Finanças da Câmara de Lisboa.

A Câmara de Lisboa prevê para 2019 um orçamento consolidado de 1,38 mil milhões de euros, mais 8,3% em relação ao ano anterior, revelou esta segunda-feira o vereador das Finanças, salientando ser este “um dos maiores orçamentos de sempre“.

Para este ano, a autarquia prevê um orçamento consolidado de 1,28 mil milhões de euros. No orçamento consolidado são consideradas as contas da Câmara Municipal de Lisboa (CML) em conjunto com as das empresas do universo municipal, como a Carris, a EMEL (Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa), a SRU (Sociedade de Reabilitação Urbana), a EGEAC (Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural) e a Gebalis (Gestão do Arrendamento da Habitação Municipal de Lisboa).

Sem considerar os valores destas empresas, o município tem um orçamento de 1,18 mil milhões de euros previstos para 2019, quando no ano passado era de 1,09 mil milhões. “Com este orçamento, o município de Lisboa tem plena consciência na exigência que lhe está a ser colocada para o executar. Vai ser um ano muitíssimo exigente para os seus dirigentes e trabalhadores, porque é um dos maiores orçamentos de sempre do município e, portanto, ele implica uma responsabilidade acrescida“, afirmou o vereador, durante a apresentação do orçamento municipal aos jornalistas, nos Paços do Concelho.

O documento irá ser apreciado em reunião de Câmara no final de outubro, necessitando depois do aval da Assembleia Municipal de Lisboa.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Câmara de Lisboa com “um dos maiores orçamentos de sempre”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião