Reservas dos EUA derrubam petróleo. Brent abaixo dos 80 dólares

As cotações do petróleo estão sob forte pressão nos dois lados do Atlântico. Preço do barril cai em torno de 3%, após nos EUA ter sido divulgado um aumento das reservas da matéria-prima.

O “ouro negro” está sob forte pressão. As cotações do petróleo desvalorizam em torno de 3% nos dois lados do Atlântico, depois de ter sido divulgado um aumento das reservas nos EUA na última semana. A cotação do barril de Brent segue abaixo dos 80 dólares.

O barril de Brent segue a desvalorizar 2,31%, para os 79,53 dólares, no mercado londrino. Ao mesmo tempo, o barril de crude recua 2,85%, para os 69,87 dólares, em Nova Iorque, quebrando a fasquia dos 70 dólares pela primeira vez em quase um mês (21 de setembro).

Petróleo em queda

A acentuada quebra de valor do “ouro negro” acontece depois de, nesta quarta-feira, ter sido divulgado um aumento das reservas de crude na semana passada nos EUA. Dados divulgados pela agência de energia norte-americana apontam para que na semana passada, os inventários de crude tenham crescido em 6,5 milhões de barris.

Esse valor quase que triplica as previsões dos analistas que esperavam um aumento de 2,2 milhões de barris.

“O relatório foi negativo, tendo em conta a grande subida nos inventários de crude”, afirmou John Kilduff, especialista da Again Capital Management, citado pela Reuters.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Reservas dos EUA derrubam petróleo. Brent abaixo dos 80 dólares

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião