“Itália precisa de fazer um esforço adicional para cumprir as regras comuns”, diz Centeno

  • e Vasco Gandra, em Bruxelas
  • 23 Outubro 2018

O presidente do Eurogrupo lembra que a Comissão Europeia tem mecanismos "para lidar com desvios orçamentais" que estão a ser seguidos. Eurogrupo de 5 de novembro vai discutir a questão.

Depois de a Comissão Europeia ter chumbado a proposta de Orçamento apresentada por Itália, Mário Centeno disse que o Governo italiano “precisa de fazer de um esforço adicional para cumprir com as regras comuns” da União Europeia (UE). Num comunicado divulgado na sequência desta decisão, a que o ECO teve acesso, o Presidente do Eurogrupo incitou ainda a Comissão Europeia e Itália a manterem “diálogos construtivos”.

“A decisão da Comissão Europeia de solicitar à Itália a apresentação de um projeto de plano orçamental revisto reflete a implementação das regras que sustentam o euro. Este não é um caminho nunca antes trilhado. Temos um processo para lidar com desvios orçamentais e ele está a ser seguido“, lê-se no comunicado divulgado esta tarde, enquanto Centeno discursa no Parlamento.

Esperamos que o diálogo entre Bruxelas e Itália continue nas próximas semanas“, continuou o ministro das Finanças, também presidente do Eurogrupo, acrescentando que, a 5 de novembro, “os ministros terão oportunidade de discutir esta questão no contexto de uma primeira análise do Projeto de Plano Orçamental”.

Mário Centeno incitou ambas as partes a manterem um “diálogo construtivo”, defendendo que “Itália precisa de fazer um esforço adicional para cumprir com as nossas regras comuns”. “As recentes declarações de Roma sobre uma revisão da despesa, classificando metas orçamentais como tetos máximos e mostrando disponibilidade para agir se as previsões não se concretizarem são um passo na direção certa“, concluiu.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Itália precisa de fazer um esforço adicional para cumprir as regras comuns”, diz Centeno

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião