EDP Brasil vende centrais mini-hídricas e prevê encaixe de 140 milhões de euros

A venda das oito centrais mini-hídricas é feira por 166,4 milhões de euros, mas tendo em conta o valor da dívida, o encaixe é de 140 milhões. A Statkraft Energias Renováveis é a empresa compradora.

EDP Brasil vendeu à Statkraft Energias Renováveis oito centrais mini-hídricas no Estado do Espírito Santo por 166,42 milhões de euros, incluindo uma dívida líquida de 26,7 milhões de euros, anunciou a empresa esta quinta-feira num comunicado enviado ao mercado. A empresa prevê um encaixe de 140 milhões de euros.

“O valor total da transação é de 704 milhões de reais, incluindo dívida líquida estimada em 113 milhões de reais. Deste modo, o valor esperado do encaixe é de 591 milhões de reais, o qual está sujeito a ajustes entre a presente data e a conclusão da operação, como é usual a esse tipo de transação”, sublinha o comunicado publicado no site da CMVM.

A EDP Brasil, detida em 51% pela EDP, especifica ainda que “assinou um contrato de compra e venda de ações com a Statkraft Energias Renováveis”, para a “alienação de 100% das ações detidas pela EDP Brasil na EDP Pequenas Centrais Hidroelétricas”, que detém sete centrais mini-hídricas, e Santa
Fé Energia, “que detém uma central mini-hídrica”. “As oito centrais mini-hídricas em questão situam-se no Estado do Espírito Santo, e totalizam 131,9 MW de capacidade instalada e 68,8 MW médios de garantia física, com prazo final de concessão entre 2025 e 2031”, sublinha ainda o comunicado.

Esta operação ainda necessita da aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Económica (CADE) e da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Só depois de ter luz verde destas duas instituições, um procedimento “usual neste tipo de negócio” é que a venda é dada por concluída.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP Brasil vende centrais mini-hídricas e prevê encaixe de 140 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião