Pergaminho do século XIV à venda… no OLX

  • ECO
  • 2 Novembro 2018

Um pergaminho do século XIV foi colocado à venda no OLX por 750 euros. O vendedor propunha que a entrega fosse feita em mão ou via CTT. Torre do Tombo já decidiu adquiriu documento.

Um pergaminho do século XIV com a escritura da entrega do Castelo de Lisboa ao Conde de Barcelos foi colocado à venda… no OLX, avança o Público (acesso condicionado), esta sexta-feira. O vendedor pedia 750 euros pelo artefacto e propunha que a entrega fosse feita “em mão, na zona de Gaia” ou via CTT. Entretanto, o Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT) já informou o atual dono do pergaminho de que irá “exercer o direito de opção na aquisição” do artigo.

O anúncio em causa descrevia o artefacto do seguinte modo: “Escritura de entrega do Castelo de Lisboa que fez o Alcaide do mesmo, Martim Afonso Valente, ao Conde de Barcelos, Dom João Afonso Telo, o qual prestou ‘preito e menagem’ ao primeiro, de acordo com o determinado pelo rei Dom Fernando, pela carta de 16 de janeiro de 1383, tresladada nesta escritura. Entre as testemunhas do ato esteve presente o Alcaide do Castelo de Faria, Diogo Gonçalves. Tabelião: Peres Esteves. 1383, janeiro 26, Castelo de Lisboa”.

Depois de ter analisado o teor do documento e confirmado a sua autenticidade, a ANTT decidiu adquiri-lo por considerara que “faz todo o sentido” inclui-lo no “património arquivístico nacional”. Portanto, ao abrigo do Decreto-Lei nº16/93, a instituição vai exercer o direito de opção na aquisição do pergaminho.

Sobre a origem do artefacto, a ANTT não conseguiu recolher informação, mas lembra que o espólio da Casa de Abrantes foi dispersado na sequência de uma herança. Desde o século XX que tem sido, por isso, vendido em lotes, vários dos quais já integrados no arquivo nacional.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Pergaminho do século XIV à venda… no OLX

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião