O que vai acontecer no último dia do Web Summit? Estes são os oradores que não pode perder

Do líder da Lime ao líder da Taxify, do fundador do Medium ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. No último dia do Web Summit, estes são os oradores que não vai poder perder.

A maior feira de tecnologia do mundo está a chegar ao fim, mas ainda há muitos pitches para fazer e tantos outros temas quentes para discutir. Depois de Sophia, Margrethe Vestager e Tony Blair, aos palcos do Web Summit sobem o CEO da Shell, a CTO da Cisco e até o Presidente da República.

Para que não perca nenhum dos momentos chaves deste último dia do evento de Paddy Cosgrave, o ECO selecionou as vozes que não pode deixar de ouvir: da mobilidade urbana a essa ideia inovadora que é fazer da criatividade um negócio de milhões ou mesmo quiçá milhares de milhões.

A trotinete como meio de transporte

Quem? Caen Contee, cofundador da Lime.

Quando? Às 16h10, no palco principal.

O quê e porquê? A Lime entrou este ano no mercado português, oferecendo centenas de trotinetes elétricas em Lisboa numa tentativa de melhorar a mobilidade das pessoas que estão na cidade. Lá fora, em grandes cidades europeias como Paris, a tendência tem crescido a grande velocidade. O cofundador da empresa, Caen Contee, que tem a Uber como acionista, vai falar sobre sobre o potencial deste novo meio de transporte.

Depois da lei, o aí vem para a Taxify?

Quem? Markus Villing, cofundador da Taxify.

Quando? Às 16h10, no palco principal.

O quê e porquê? A lei que regula as plataformas eletrónicas acabou de entrar em vigor em Portugal e o cofundador de uma dessas empresas, a Taxify, vai estar com o cofundador da Lime no mesmo painel. O empreendedor poderá partilhar qual o próximo passo para a empresa que entrou em Portugal no início deste ano.

Os dados são o novo petróleo?

Quem? Ben van Beurden, CEO da Shell.

Quando? Às 10h50, no palco principal.

O quê e porquê? Numa altura em que o mercado petrolífero está em polvorosa com as sanções impostas pelos Estados Unidos ao Irão, o CEO da Shell vem ao palco principal da Web Summit. Como pode a tecnologia evitar os erros da indústria do “ouro negro”? É essa a questão a que Ben van Beurden tentará dar resposta, passando a pente fino a história desse setor, de modo a extrair lições.

A carreira de influenciador digital

Quem? Caspar Lee.

Quando? Às 15h45, no palco Content Makers.

O quê e porquê? Em 2011, Caspar Lee estreou-se no YouTube e conquistou os internautas com a sua personalidade divertida e sarcástica. Quase sete anos depois, o sul-africano já conta com mais de 7,5 milhões de subscritores, tendo também experimentado as indústrias do cinema e da música. Em agosto do último ano, Lee conheceu Ben Jeffries e juntos fundaram a influencer.com, uma plataforma de marketing para influenciadores digitais com base em Inteligência Artificial. Numa altura em que a indústria dos influenciadores digitais estar ganhar notoriedade e grandes patrocínios das gigantes de todo o mundo, da L’Oréal ao Skype, não pode perder esta perspetiva.

A criatividade como negócio

Quem? Sam Yam, cofundador e presidente do Patreon.

Quando? Às 14h40, no palco principal.

O quê e porquê? Há quem garanta que as indústrias criativas serão as únicas a sobreviver ao assalto de empregos que será levado a cabo pelos robôs, mas Sam Yam vem responder a uma questão menos otimista: Quanto tempo falta até que esses setores também sejam apanhados pela avalanche da Inteligência Artificial? Recorde-se que o Patreon é uma plataforma norte-americana de financiamento coletivo de criadores de conteúdo digital, que tem servido como fonte de rendimento alternativa à publicidade.

Como salvar a imprensa

Quem: Ev Williams, fundador do Medium.
Quando: Às 16h35, no palco principal.

O quê e porquê? O Medium é atualmente uma grande plataforma de partilha de conteúdos, que praticamente tornou obsoletos os blogues tradicionais. Junta uma comunidade de leitores ávidos por artigos dos mais diversificados temas, e alguns jornais já a usam para publicar textos. A novidade é que, não há muito tempo, o Medium passou a aceitar subscrições, que custam uma mensalidade inferior a dez euros. O dinheiro é distribuído por quem publicou determinado conteúdo, consoante a popularidade que atingiu. O painel em que o fundador, Ev Williams, vai participar tem como título “como salvar os media”.

Presidente da República encerra o evento

Quem? Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República de Portugal.

Quando? Às 17h00, no palco principal.

O quê e porquê? O chefe de Estado português vai estar com o fundador do Web Summit, Paddy Cosgrave, na cerimónia de encerramento da terceira edição do evento em Lisboa.

Diversidade de género e lucros de mão dada

Quem? Susie Wee, CTO da Cisco Systems.

Quando? Às 11h10, no palco Fórum.

O quê e porquê? Equivale a aposta na diversidade de género a uma subida dos lucros? Susiee Wee, CTO da Cisco Systems, vai ao palco Fórum abordar esse tema. Em Portugal, por ano, as mulheres trabalham 61 dias sem renumeração. Isto se se comparar os seus salários com os dos homens em posições equivalentes. No Reino Unido, esse fosso equivale a 67 dias.

ECO vai estar presente num painel

Uma nota final para o painel das 14h03, no palco Growth, acerca do crescimento do comércio eletrónico. O painel conta com Mark Cummins, CEO da Pointy, Aneeqa Khan, fundadora da eporta e Alex Louziou, cofundador da Trouva. Conta com a moderação de Mariana de Araújo Barbosa, editora do ECO e autora de O Livro dos Fazedores.

Comentários ({{ total }})

O que vai acontecer no último dia do Web Summit? Estes são os oradores que não pode perder

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião