Alívio da guerra comercial puxa por Wall Street. Tecnológicas brilham

Os índices bolsistas dos EUA encerraram em alta, perante notícias que dão conta que a próxima ronda de tarifas alfandegárias sobre produtos chineses importados pelos EUA tinha sido suspensa.

Wall Street começou no vermelho e encerrou no verde. Os principais índices bolsistas dos EUA terminaram a sessão com ganhos confortáveis, animados por notícias que dão conta que a próxima ronda de tarifas alfandegárias sobre produtos chineses importados pelos EUA tinha sido suspensa. As tecnológicas destacaram-se pela positiva.

O S&P 500 avançou 1,06% para 2.730,34 pontos, enquanto o Dow Jones fechou a ganhar 0,84% para 25.290,39 pontos. Por sua vez, o Nasdaq acelerou 1,72% para 7.259,03 pontos.

Esse desempenho aconteceu no dia em que o Financial Times avançou que o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, disse a executivos do setor industrial que a próxima ronda de tarifas alfandegárias sobre produtos chineses importados pelos EUA tinha sido suspensa. A notícia foi negada por representantes de Robert Lighthizer, mas esse facto não tirou brilho a Wall Street.

No setor tecnológico destacam-se algumas referências positivas da sessão bolsista norte-americana. A Apple foi disso mesmo exemplo, tendo dado fim a uma sangria de cinco sessões de queda.

As ações da tecnológica liderada por Tim Cook somaram 2,47%, animadas por uma nota de investimento positiva. Katy Huberty, do Morgan Stanley, escreveu que o “ruído em torno da cadeia de fornecimento” da Apple estava a criar uma oportunidade de compra das ações da empresa. Os investidores parecem ter seguido o conselho.

Comentários ({{ total }})

Alívio da guerra comercial puxa por Wall Street. Tecnológicas brilham

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião