Mota-Engil soma 192 milhões de euros à sua carteira na América Latina

De todas as adjudicações, o destaque vai para a Colômbia, onde a construtora anuncia um contrato de uma obra que ronda os 100 milhões de euros.

A Mota-Engil vai acrescer 192 milhões de euros à sua carteira na América Latina, aumentando, assim, o volume de novas obras para os 500 milhões de euros. O destaque vai para a Colômbia, onde a construtora informa sobre um contrato que originará perto de 100 milhões de euros.

“A Mota-Engil informa sobre a adjudicação de um contrato público para a realização do projeto, da construção e da operação assistida de uma estação elevada de águas residuais na região de Canoas”, pode ler-se no comunicado publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O projeto e a construção têm um prazo de 44 meses, enquanto a operação assistida vai decorrer durante um prazo de seis meses. Ambas as fases originarão um montante agregado de faturação de cerca de 100 milhões de euros.

Já à Mota-Engil Peru foi atribuída a obra de elevação da barragem de Las Bamba, que terá um prazo de execução de 26 meses. Adicionalmente, à mesma empresa, foi também adjudicada a extensão dos trabalhos de conservação de algumas estradas pela Provias, obra que terá um prazo de 18 meses.

À Mota-Engil República Dominicana, por sua vez, foi atribuída a reconstrução e extensão de parte do Porto de Caucedo, obra com um período de execução de 13 meses.

Com estas novas adjudicações na América Latina, segundo se lê na nota informativa da construtora, a empresa dá provas de que continua “a incrementar e a diversificar o portefólio de obras naquela região”.

Comentários ({{ total }})

Mota-Engil soma 192 milhões de euros à sua carteira na América Latina

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião