Taylor Swift vai para a Universal Music Group. Contrato pode valer 200 milhões

A cantora assinou um novo contrato de gravação com a Republic Record, uma das principais editoras da Universal Music Group. Sai da Big Machine Record, onde construiu a sua carreira, no final do mês.

Taylor Swift começou a semana ainda com mais motivos para cantar. A norte-americana assinou um novo contrato de gravação com a Republic Records, uma das principais editoras da Universal Music Group (UMG), que é considerado o maior grupo na indústria da música especializada em gravação, edição e distribuição.

Embora os termos do contrato não tenham sido oficialmente divulgados, o acordo pode valer entre 100 milhões e 200 milhões de dólares, avança a Forbes (acesso livre, conteúdo em inglês), que no mesmo dia colocou a cantora no segundo lugar do ranking das mulheres mais bem-sucedidas no mundo da música.

Taylor Swift sai, assim, da Big Machine Record, onde construiu a sua carreia, para integrar a equipa da Universal Music Group, que não lhe é totalmente desconhecida, uma vez que já era responsável pela distribuição dos seus álbuns. A cantora deverá permanecer na Big Machine Records até ao final do mês, altura em que cessa o contrato.

O anúncio foi feito pela própria Taylor Swift através da sua conta de Instagram, ao partilhar uma foto sua ao lado de Lucian Grainge, presidente e CEO da UMG, e Monte Lipman, presidente e CEO da Republic Records. “Estou em êxtase por anunciar que a minha casa musical será a Republic Records e a Universal Music Group. Ao longo dos anos, Lucian Grainge e Monte Lipman têm sido parceiros incríveis. É fascinante que eles — e a equipa da UMG — passem a ser a minha família, a minha editora, daqui para a frente”, escreveu a cantora nas redes sociais.

Swift será dona dos direitos das suas próprias músicas e terá concordado em lançar, pelo menos, cinco álbuns com a Republic Records, o que significa que a cantora tem “casa” garantida até ao seu 11.º álbum. Além disso, Taylor Swift terá negociado com a editora uma mudança no esquema de distribuição de lucros do streaming, o que irá beneficiar todos os artistas contratados pela Universal Music Group.

O contrato estreita, agora, a relação entre a artista e a UMG. Dez vezes vencedora de Grammys Awards e distinguida como a mais jovem a receber um Grammy por álbum do ano, Swift é a única artista na história com quatro álbuns (Speak Now, Red, 1989 e Reputation) com mais de um milhão de vendas só na primeira semana de lançamento.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Taylor Swift vai para a Universal Music Group. Contrato pode valer 200 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião