Site do BPI não funciona. Há uma “anomalia informática”

Aceder ao site e à banca online e mobile do BPI não está a ser possível desde esta manhã, uma situação que se deve a uma anomalia informática que está a ser reparada.

O acesso ao site do BPI está indisponível, uma situação que se deve a uma anomalia no sistema informático, avançou ao ECO fonte oficial da instituição financeira liderada por Pablo Forero.

A mesma fonte adiantou que se trata de uma indisponibilidade temporária e que a situação está a ser resolvida pela equipa de informática do BPI, tendo descartado estar em causa um ataque informático, mas sim uma “anomalia interna”.

De acordo com fonte oficial do BPI, a situação em causa provoca uma “indisponibilidade temporária” de alguns serviços, que começou logo no iníciio do dia. A anomalia impede os clientes do banco acederem ao respetivo site, mas também ao serviço de banca online e mobile.

Apesar de não indicar um prazo para a resolução do problema, a mesma fonte confirmou à Lusa que o BPI “está a desenvolver todos os esforços para ultrapassar esta situação o mais rapidamente possível”.

Esta situação acontece no mesmo dia em que o Caixabank anuncia o seu plano estratégico do BPI para o período de 2019 a 2021, onde a digitalização surge como uma das apostas estratégicas mais fortes da instituição financeira para os próximos anos.

Para além de aumentar os seus clientes digitais, o banco também quer simplificar os processos. Estima que o número de clientes digitais aumente para 50%, mais nove pontos percentuais do que a percentagem de 2018 (41%). Com a digitalização, o banco espera também melhorar o seu nível de eficiência, “consolidando” a sua reputação.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Site do BPI não funciona. Há uma “anomalia informática”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião