Fed sinaliza nova subida dos juros nos EUA em dezembro

Minutas da última reunião do banco central norte-americana indica que "quase todos os participantes" defenderam um aumento da 'federal funds rate' "proximamente. Fed reúne-se novamente dia 19.

A Reserva Federal norte-americana sinalizou que deverá voltar a subir o intervalo da taxa de juro de referência norte-americana já em dezembro. As minutas da última reunião do banco central, conhecidas esta quinta-feira, indicam que a maior parte dos participantes concordam com esta opção, que é a antecipada pelo mercado.

“Consistente com o nosso julgamento que continua a ser apropriada uma abordagem gradual à política de normalização, quase todos os participantes expressam a visão de que outro aumento do intervalo-alvo da federal funds rate será provavelmente apropriado muito em breve se a informação recebida sobre o mercado de trabalho e a inflação seguir em linha com ou for mais forte que as expectativas atuais”, referem as minutas.

Na reunião de dias 7 e 8 de novembro, o Comité Federal de Mercado Aberto (FOMC) da Fed manteve a taxa de juro de referência inalterada, entre 2% e 2,25%, no intervalo para que subiu em outubro. A concretizar-se uma nova subida, no encontro de 19 de dezembro, será a quarta deste ano.

O banco central liderado por Jerome Powell tem levado a cabo um caminho de normalização da política monetária motivado pelo crescimento económico, aceleração da inflação e fortalecimento do mercado de trabalho nos EUA.

A estratégia deverá manter-se. A Fed notou, ainda assim, que alguns participantes, “apesar de verem como apropriadas novas subidas, expressaram incerteza sobre o timing de tais aumentos”. Acrescenta ainda que “um par de participantes notaram que a federal funds rate poderá estar atualmente próxima do nível neutral e que novos aumentos na taxa dos fundos federais poderiam desacelerar indevidamente a expansão da atividade económica e pressionar a inflação e as expectativas de inflação”.

Depois de cerca de uma década sem mexer nos juros — que se mantiveram em mínimos históricos entre 0% e 0,25% — desde finais de 2015, a Fed já elevou oito vezes os juros. No entanto, Jerome Powell tem sido alvo de crítica por parte da Administração norte-americana.

Apesar das sucessivas críticas de Donald Trump, o presidente da Fed defendeu também que os aumentos graduais dos juros continuam a ser necessários para manter a economia no caminho certo, esta quarta-feira durante um discurso no Clube Económico de Nova Iorque. “O nosso ritmo gradual de aumento das taxas de juro tem sido um exercício para equilibrar os riscos”, afirmou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fed sinaliza nova subida dos juros nos EUA em dezembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião