Depois do chumbo de Carlos Pereira, Governo nomeia Pedro Verdelho para a ERSE

O ministro do Ambiente e da Transição Energético nomeou Pedro Verdelho para vogal do Conselho de Administração da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos.

O ministro do Ambiente e da Transição Energético nomeou Pedro Verdelho para vogal do Conselho de Administração da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE). Isto depois da Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas ter dado um parecer desfavorável ao deputado socialista Carlos Pereira, que acabou por renunciar à sua nomeação, deixando vago o lugar que deverá agora ser ocupado por Verdelho.

Em comunicado, o Governo explica que a Comissão de Recrutamento e Seleção da Administração Pública “considerou o perfil de Pedro Geraldes Martins Verdelho adequado às funções a desempenhar”. O Ministério sublinha ainda que já foi solicitada à Comissão de Economia, Inovação e Obras públicas a audição prevista na lei.

Pedro Verdelho é doutorado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores. A concretizar-se, esta não será a primeira vez que o engenheiro passa pela ERSE, tendo sido diretor de tarifas e preços entre 1999 e 2018.

No início de outubro, o Governo anunciou que tinha escolhido o deputado socialista Carlos Pereira para o cargo em causa. Na altura, a nomeação foi confirmada pela Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública, mas acabou por ser chumbada pela Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas.

“Das opiniões e considerações dos partidos expressas durante as audições, pode concluir-se que não reúne consenso a personalidade indicada pelo Governo para o cargo de vogal do Conselho de Administração da ERSE, emitindo-se assim parecer desfavorável à nomeação”, lia-se na nota, que acabou por levar Pereira a renunciar ao cargo em causa.

Apesar dessa decisão, o socialista fez questão de frisar que considerava a “conclusão desadequada”, já que partiu de “pressupostos político-partidários”. Isto porque o parecer negativo da comissão em causa teve origem num relatório do PCP que recomendava um parecer desfavorável à nomeação.

(Notícia atualizada às 10h58).

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Depois do chumbo de Carlos Pereira, Governo nomeia Pedro Verdelho para a ERSE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião