Governo vai investir 220 milhões na compra de 715 autocarros para todo o país

  • Lusa
  • 14 Dezembro 2018

Os novos veículos serão distribuídos por todo o país, num investimento total de 220 milhões de euros. "Nenhum destes autocarros é a diesel", disse o ministro do Ambiente e Transição Energética.

O Governo anunciou esta sexta-feira a aquisição de 715 novos autocarros para reforçar as frotas de transportes públicos de todo o país, um investimento que ascenderá a 220 milhões de euros, segundo o ministro do Ambiente e Transição Energética.

Falando na apresentação dos veículos que irão reforçar a frota da empresa rodoviária Carris, que opera na zona de Lisboa, João Matos Fernandes afirmou que “estes 15 autocarros fazem parte dos 715 autocarros que estão a ser comprados no país todo”. “Estamos a falar de um investimento de 220 milhões de euros, naquele que é o maior programa que conhecemos […] que está a ser feito nos países da União Europeia para aumentar e renovar a frota de autocarros, todos eles com elevada performance ambiental”, declarou o governante.

O ministro do Ambiente e Transição Energética destacou que “nenhum destes autocarros é a diesel”. De acordo com Matos Fernandes, “estes 715 autocarros dividem-se em dois blocos dentro do POSEUR [Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos], que é o programa que os financia parcelarmente”.

“No primeiro aviso, há cerca de um ano e meio, 15% dos autocarros eram elétricos. No segundo aviso, que encerrou há menos de um mês, 41% dos autocarros são elétricos”, explicou, referindo que “nenhum é a diesel, os outros são a gás natural”. A par deste investimento, o Governo vai aplicar 137 milhões de euros na “aquisição das novas composições para o metro de Lisboa e para o seu novo sistema de sinalização”.

Segundo o governante, o “concurso foi lançado”, existem “quatro concorrentes e está neste momento a decidir-se quais são os que passam à fase seguinte”. João Pedro Matos Fernandes referiu também que o Metropolitano de Lisboa chegou a ter 30 comboios parados, mas neste momento tem oito, e por isso a capacidade de oferta da empresa “vai ser muito maior”.

Na apresentação, que decorreu na estação da Carris de Miraflores, concelho de Oeiras (distrito de Lisboa), Matos Fernandes firmou o compromisso de que em 2050 “o país será mesmo neutro em emissões carbónicas”. “Vamos mesmo conseguir reduzir de seis para um, que é um desafio enorme, aquilo que são as emissões carbónicas do nosso país”, acrescentou, falando numa meta de diminuição de 98% de emissões por parte do setor dos transportes. Para tal, “em 2050 toda a mobilidade terrestre será elétrica”.

Questionado sobre a redução tarifária que está previsto entrar em vigor em abril do próximo ano, o ministro salientou que é “para todo o país”, e explicou que “as duas áreas metropolitanas e cada uma das comunidades intermunicipais vai receber uma transferência de dinheiro do Orçamento do Estado, do qual 60%, no mínimo, tem de ser dedicado a reduzir o tarifário”.

“Estimo que as duas áreas metropolitanas até venham a utilizar 100% da verba transferida”, continuou, apontando que “nos sítios onde a oferta seja hoje menos robusta, os outros 40% podem ser utilizados no reforço dessa mesma oferta, na qualificação das paragens de autocarro, na sua extensão, no que entenderem”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo vai investir 220 milhões na compra de 715 autocarros para todo o país

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião