Produtividade vai ajudar economia pela primeira vez em 22 anos

Entre 2018 e 2021, a produtividade vai explicar 15% do crescimento económico. Ainda assim, o emprego continua a ser o motor.

A produtividade vai explicar 15,2% do crescimento económico projetado para os anos de 2018 a 2021. Esta ajuda acontece pela primeira vez em 22 anos. No entanto, continua a ser o emprego o que mais conta para a subida do PIB.

Esta é uma das conclusões que se retira de uma análise feita pelo Banco de Portugal aos fatores de crescimento da economia portuguesa e que acompanha o Boletim Económico, conhecido esta terça-feira, e que atualiza as projeções até 2021.

Neste período, o emprego per capita continua a ser o principal motor do crescimento económico, contribuindo com 43,7% para o crescimento da economia. Em segundo lugar surge como principal fator de crescimento o capital humano (28,9%), uma variável que está ligada ao nível médio de escolaridade. A produtividade dos vários fatores aparece em terceiro lugar na contribuição para o crescimento do PIB e, por fim, o stock de capital é o que menos ajuda a explicar o crescimento económico (com um peso de 12,2%).

Face ao período anterior, entre 2014 e 2017, o peso do emprego baixa, o do capital humano fica praticamente igual, o do stock de capital aumenta e o da produtividade também, já que nesse período o seu contributo tinha sido negativo.

 

O contributo positivo da produtividade para o crescimento económico — algo inédito desde 1999, ano em que começa a análise do banco central — é uma boa notícia para a economia portuguesa.

Na base deste avanço, ainda que sujeito a confirmação e ainda modesto, deverão estar uma melhor afetação dos recursos na economia, numa altura em que os recursos foram dirigidos para setores mais expostos à concorrência e, por isso, mais sujeitos à inovação tecnológica. Também as reformas feitas nos últimos anos terão contribuído para esta evolução.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Produtividade vai ajudar economia pela primeira vez em 22 anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião