Bolsas europeias dão trambolhão. Lisboa entra em bear market

A praça lisboeta acompanhou o cenário atribulado que se vive nas restantes praças europeias. Lisboa registou perdas superiores a 1%, enquanto o alemão DAX recuou mais de 2,30%.

As bolsas europeias estão a ter um pós Natal um tanto atribulado. O cenário de quedas foi transversal a quase todas as praças da Europa, e Lisboa não foi exceção. A bolsa nacional encerrou a primeira sessão após os dois dias de interrupção, devido ao Natal, a desvalorizar mais de 1%, penalizada sobretudo pelo BCP e, também, pela família EDP.

O principal índice português, o PSI-20, recuou 1,14% para 4.587,45 pontos, tocando mínimos de mais de ano e meio. Elevou para mais de 20% a queda desde o máximo alcançado em maio, entrando assim em bear market.

Lisboa acompanhou o cenário vivido nas restantes praças europeias. O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 1,75% para 329.36 pontos, mas o destaque foi para o alemão DAX, que registou perdas na ordem dos 2,37%. O espanhol IBEX 35, por sua vez, caiu 1,50%, enquanto o britânico FTSE 100 recuou 1,84% e o francês CAC 40 desvalorizou 0,60%.

Porém, esta manhã o sentimento era contrário. As bolsas europeias “acordaram” a acompanhar a tendência positiva dos Estados Unidos da América (EUA) e da Ásia. Mas, depois da abertura de Wall Street, os ventos mudaram de direção e inverteram o rumo do Stoxx 600.

As bolsas norte-americanas iniciaram a negociação desta quinta-feira em terreno negativo. Os três principais índices registaram perdas superiores a 1,5%, penalizadas pela paralisação do Governo por falta de acordo entre Republicanos e Democratas e pelos receios em torno da resiliência da economia norte-americana.

BCP recuou quase 3,50%

Por cá, Lisboa, ainda que tenha iniciado a negociação a valorizar em torno de 1%, acabou por encerrar a sessão em terreno negativo. Apenas quatro das 18 cotadas escaparam à maré vermelha.

A empurrar o PSI-20 para o terreno vermelho esteve, sobretudo, o BCP e a família EDP. O banco liderado por Miguel Maya recuou 2,56% para os 0,2212 euros, enquanto a EDP desvalorizou 2,14% para os 2,92 euros. A EDP Renováveis, por sua vez, registou perdas na ordem dos 0,53% para 7,56 euros.

Também a Sonae deu um empurrão ao PSI-20. A empresa liderada por Paulo de Azevedo recuou 0,89% para os 0,784 euros.

Já a Pharol, que perdeu 3,36% para os 0,1670 euros, foi a empresa cotada em bolsa que mais desvalorizou durante esta sessão.

Na linha verde, apenas ficaram a Semapa, que avançou 1,89%, a Jerónimo Martins, que valorizou 0,15%, os CTT, que somaram 0,14%, e a Sonae Capital, que registou ganhos na ordem dos 0,12%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Bolsas europeias dão trambolhão. Lisboa entra em bear market

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião