A partir do dia 1 de janeiro, 20 das 22 autoestradas da IP serão mais caras

Só os preços das portagens na autoestradas A4 e a A13-1 não irão sofrer variações em janeiro.

A partir do dia 1 de janeiro de 2019, 20 das 22 autoestradas que estão sob a gestão da Infraestruturas de Portugal (IP) serão mais caras, em consequência da evolução positiva no índice de Preços ao Consumidor sem Habitação (IPC). O anúncio foi feito, através de comunicado, pela empresa estatal.

De acordo com a IP, apenas a A4 – Túnel do Marão, a A23 (entre Torres Novas e Abrantes), a A21 (Ericeira – Venda do Pinheiro), a A19 (Litoral Oeste), a A13 (Pinhal Interior), a A16 (Grande Lisboa) e a A41 e A42 (Grande Porto) não irão apresentar variações nos preços.

“Nestas autoestradas o valor de portagem para a Classe 1 mantém-se igual ao praticado em 2018”, pode ler-se no comunicado.

“Em apenas 111 tarifas praticadas (22% de um total de 500) haverá uma variação das taxas cobradas aos utilizadores” nas autoestradas cuja receita é da empresa pública portuguesa.

Na Grande Lisboa (A16), por exemplo, apenas a tarifa da classe 2 irá sofrer um aumento, passando, a partir do próximo ano, a pagar mais dez cêntimos do que em 2018.

Mais a norte, no Grande Porto, apenas as classes 3 e 4 irão registar aumentos. No caso da A41, a classe 3 passa a pagar mais 0,05 cêntimos e a classe 4 mais 0,15 cêntimos. A classe 3 na A42, por sua vez, irá desembolsar mais 0,03 cêntimos e a classe 4 mais 0,10 cêntimos.

Comentários ({{ total }})

A partir do dia 1 de janeiro, 20 das 22 autoestradas da IP serão mais caras

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião