Espanha deverá sair do procedimento por défice excessivo em março. É o último país a sair

  • Lusa
  • 14 Janeiro 2019

Moscovici anuncia que Espanha deve sair do PDE em março. No entanto, a Comissão vai “seguir de perto” a situação orçamental de Itália, França, Grécia e Espanha.

A Espanha “vai muito provavelmente sair do procedimento por défice excessivo em março próximo”, declarou esta segunda-feira em Paris o comissário europeu dos Assuntos Económicos e Financeiros, Pierre Moscovici.

“Viramos assim a página muito dolorosa da crise de 2008 e dos défices excessivos provocados pela crise financeira de 2008”, afirmou, em conferência de imprensa, o comissário europeu, referindo-se ao facto de a Espanha ser o último país da zona euro ainda sob procedimento por défice excessivo (PDE).

Em 2017, a Espanha respeitou pela primeira vez o seu objetivo de redução do défice público sem renegociação com Bruxelas durante o ano, baixando-o para 3,07% do Produto Interno Bruto (PIB), e o objetivo para 2018 era de 2,2%, tendo o novo Governo socialista de Pedro Sánchez revisto em alta a meta, para 2,7%, ainda assim abaixo da “fasquia” dos 3% do PIB prevista no Pacto de Estabilidade e Crescimento.

Em 2011, no “pico” da crise, 24 dos 28 Estados-membros da União Europeia encontravam-se sob procedimento por défice excessivo, entre os quais Portugal, cujo PDE foi encerrado em julho de 2017, ao cabo de oito anos.

Na mesma conferência de imprensa desta segunda-feira em Paris, Pierre Moscovici admitiu todavia que, mesmo que deixe de haver países sob procedimento por défice excessivo, o executivo comunitário vai continuar a “seguir de perto” a situação orçamental de Itália, França, Grécia e Espanha.

Comentários ({{ total }})

Espanha deverá sair do procedimento por défice excessivo em março. É o último país a sair

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião