Qual será o melhor destino europeu em 2019? Braga está nomeada

Braga é a única cidade portuguesa nomeada para este prémio. Distinção é feita pelo European Best Destination, a mesma que já contemplou Lisboa e Porto.

Braga está nomeada na categoria de melhor destino europeu para 2019, juntamente com mais 20 cidades europeias, como Viena, Florença, Londres ou Paris.

A votação começa esta terça-feira e decorre até 5 de fevereiro, através do site European Best Destinations. (https://www.europeanbestdestinations.com/european-best-destinations-2019)

A cidade de Braga é o único destino português nomeado para receber esta distinção, depois de Lisboa e Porto já terem conquistado este título em anteriores edições.

Criada em 2009, a European Best Destinations é uma organização sediada em Bruxelas, desenvolvida para promover a cultura e o turismo na Europa.

O prémio tem um importância acrescida na medida em que os destinos premiados beneficiam de um crescimento significativo do turismo, em média mais 15%. A organização do evento diz mesmo que nalguns casos chega-se a atingir picos de 40% e dá como exemplo, o caso de Zagreb, eleito como melhor destino de Natal em 2016 e 2017.

A isto acresce ainda a cobertura mediática, não só no momento dos resultados mas também ao longo do ano.

Maximilien Lejeune, CEO do European Best Destinations, adianta em comunicado que “Braga é um dos destinos mais modernos da Europa. Um dos destinos mais atraentes para viajantes de todo o mundo”.

O responsável pela atribuição dos prémios destaca ainda a crescente popularidades de Braga nas redes sociais e o crescimento do turismo de quase 20% ao ano, graças aos investimentos realizados em infraestruturas pelo município.

Lejeune destaca toda a oferta cultural — chegando mesmo a citar o evento da noite branca –, patrimonial e arquitetónica e diz que “Braga tem um futuro promissor”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Qual será o melhor destino europeu em 2019? Braga está nomeada

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião