Hoje nas notícias: Ministério da Saúde, progressões e Caixa

  • ECO
  • 25 Janeiro 2019

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

O Ministério da Saúde tem 114 imóveis desocupados. O valor patrimonial relativo a metade desses imóveis é de 3,9 milhões de euros, diz a Inspeção Geral das Finanças. O pior é que mais de metade dos edifícios ocupados por entidades do ministério de Marta Temido pertencem a privados. Ainda na esfera do setor público, o Governo aprovou esta quinta-feira os aumentos da remuneração base da função pública. Mas um parte dos trabalhadores atingirá os 635,07 euros através da progressão da carreira.

Ministério da Saúde tem 114 imóveis desocupados

No início de 2018, o Ministério da Saúde tinha 114 imóveis desocupados. No total são “pelo menos 369 mil metros quadrados e um valor patrimonial de 3,9 milhões de euros, relativo a apenas a metades desses imóveis”, segundo indica a Inspeção-Geral das Finanças (IGF) numa auditoria acabada de divulgar e que abrangeu o triénio 2016/2017. Inspetores concluíram que mais de metade os edifícios ocupados por entidades do Ministérios pertencem a privados. Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (aceso pago).

Governo usa progressões para garantir aumentos

O Governo aprovou o aumento da remuneração base na administração pública de 580 euros para 635,07 euros, mas uma parte dos trabalhadores atingirá esse patamar através das progressões na carreira. Para a ministra da Presidência, a progressão faz-se em primeiro lugar, pelo que alguns funcionários públicos chegarão aos 635 euros usando os dez pontos que acumularam na avaliação. Só quem não está em condições de progredir será abrangido pelo decreto-lei que aumenta a remuneração base praticada pelo Estado. Leia a notícia completa no Público (acesso pago).

Caixa contrata Vieira de Almeida para avaliar ações contra ex-gestores

A Caixa Geral de Depósitos contratou a sociedade de advogados Vieira de Almeida. Em causa está a análise de eventuais ações de responsabilidade civil contra os ex-administradores do período entre 2000 e 2015. Responsabilidade jurídica está já a ser avaliada e relatório deverá ser entregue até ao verão. Leia a notícia completa no Jornal Económico (acesso pago).

Novos acionistas da Douro Litoral pedem reunião com o regulador

Os fundos liderados pela Strategic Value Partners LLC executaram um penhor e vão assumir o controlo da concessão de autoestradas geridas pela Brisa. O concedente Estado não comenta. A Brisa também não se manifestou. A concessionária controlada pela Brisa entrou em incumprimento em 2014. A concessão da Douro Litoral inclui as autoestradas A32, A41 e A43. Leia a notícia completa no Jornal Económico (acesso pago).

Ambientalistas acusam “acordo entre ANA e Governo é pressão inaceitável para aeroporto ser aprovado”

As associações ambientalistas estão contra o acordo assinado entre o Governo e a ANA, a gestora dos aeroportos nacionais, para a concretização do projeto do aeroporto do Montijo e a expansão da capacidade do Aeroporto Humberto Delgado. Em causa está a falta do estudo ambiental. “Lamentamos que o governo tenha esta posição de que a decisão está tomada sem que tenha sido sequer apresentado e discutido o estudo de impacto ambiental”, diz a Quercus. Já a Zero fala em “falta de transparência” e decidiu avançar para os tribunais. Leia a notícia completa no Diário de Notícias (acesso pago).

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: Ministério da Saúde, progressões e Caixa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião