Portugal é o segundo país europeu onde trabalho precário mais cresceu

  • ECO
  • 27 Janeiro 2019

É durante o verão que o número de trabalhadores precários mais aumenta. Em termos setoriais, os serviços e a construção são as atividades com maior propensão, revela o JN.

Portugal é o segundo país da União Europeia em que o trabalho precário mais aumentou. O número de contratos até três meses subiu 1,8 pontos percentuais entre 2008 e 2017, de acordo com os dados do Eurostat, citados este domingo pelo Jornal de Notícias. Neste período, o número de pessoas nesta situação cresceu em 130 mil.

Em 2008, os contratados precários representavam 1,1% dos trabalhadores por conta de outrem. Já no final de 2017, o peso subiu para 2,9%. Ainda assim, a percentagem de trabalhadores precários diminuiu desde o pico de 2011, em que estes vínculos atingiram os 3,6% da totalidade dos contratos por conta de outrem.

Na comparação europeia da evolução do peso dos contratos não permanentes de duração igual ou inferior a três meses na totalidade do mercado de trabalho privado, apenas a Croácia fica acima de Portugal. Nesse país, o aumento entre 2008 e 2017 foi de 3,6 pontos percentuais, revela a JN.

Os dados pedidos pelo jornal ao Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre Portugal indicam que durante o verão (no terceiro trimestre do ano), o número de trabalhadores precários aumenta. Em sentido contrário, volta a cair no início de cada ano, o que estará associado ao emprego sazonal.

Em termos setoriais, também há uma tendência definida. “Os estudos conduzidos a nível europeu são consensuais em eleger os serviços – em particular, os associados à restauração e alojamento – e a construção como as áreas de atividade económica com maior propensão para recorrer a vínculos precários“, refere o Observatório sobre as Crises e Alternativas, citado pelo JN. “É precisamente sobre estes setores que tem assentado a recuperação da economia, com um crescimento percentual do emprego acima da média”.

Comentários ({{ total }})

Portugal é o segundo país europeu onde trabalho precário mais cresceu

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião