Novabase está à procura de 150 jovens talentos para contratar em 2019

A tecnológica portuguesa vai recorrer à Novabase Academy, programa que faz a seleção de talentos à saída das universidades, para fazer crescer a equipa.

A Novabase quer expandir a equipa em 2019. A empresa portuguesa vai contratar 150 jovens neste ano, através do programa Novabase Academy, que se destina à seleção e desenvolvimento do talento que sai das universidades. O foco vai estar nas áreas de informática, mas também de gestão de empresas.

A tecnológica quer encontrar jovens para desempenhar funções nas áreas de engenharia informática, engenharia eletrotécnica e de computadores, informática e gestão de empresas, de acordo com o Dinheiro Vivo (acesso livre). Há também vagas em gestão e economia, para analistas funcionais.

Já no ano passado a Novabase integrou 152 recém-graduados, para as áreas como telecomunicações, serviços financeiros, governo, transportes e energia, indica a empresa em comunicado. Foi em 2018 que mais jovens foram integrados na empresa, nos últimos cinco anos, e a maioria provinha do Instituto Superior Técnico.

A Novabase Academy dá aos jovens “a possibilidade de integrar equipas multidisciplinares e trabalhar em projetos e desafios inovadores e com dimensão internacional“, explica Ricardo Nunes, head of People & Organization da Novabase, citado em comunicado. O programa já se tem tornado conhecido dos jovens, e no ano passado recebeu mais de 2500 candidaturas.

“Vamos manter a aposta neste programa para que possamos continuar a contar com o talento necessário para responder às exigências do mercado, sobretudo num setor onde a competitividade é cada vez maior”, garante Ricardo Nunes. Desde o arranque do programa, em 2006, já foram integrados cerca de 1500 jovens.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Novabase está à procura de 150 jovens talentos para contratar em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião