CP recebe cinco candidaturas para fornecimento de comboios no valor de 168 milhões

  • Lusa
  • 13 Fevereiro 2019

A empresa pública recebeu cinco candidaturas para o fornecimento de 22 comboios no valor de 168 milhões de euros. A entrega do material circulante ocorrerá entre 2023 e 2026. 

A CP – Comboios de Portugal recebeu cinco candidaturas para o fornecimento de 22 comboios, tendo a decisão que ser tomada no prazo de 44 dias a contar de terça-feira passada, anunciou a empresa esta quarta-feira.

“No dia 12 de fevereiro terminou o prazo de apresentação de candidaturas tendo a CP – Comboios de Portugal recebido cinco candidaturas”, anunciou a empresa pública, em comunicado. As candidaturas foram das empresas Patentes Talgo SLU, Standler Service Nederland, Construciones y Auxiliar de Ferrocarriles, Alstom Transporte e Siemens Mobility Unipessoal.

O júri do concurso vai agora proceder à análise das candidaturas, “sendo admitidos à fase seguinte todos os candidatos que cumpram os requisitos de capacidade técnica e financeira”. A decisão será tomada no prazo de 44 dias a contar da data do fim do prazo para a apresentação de candidaturas. “Os candidatos que vierem a ser admitidos vão receber, em simultâneo, um convite à apresentação de propostas para o fornecimento do material circulante a adquirir pela CP”, indicou a empresa.

Em setembro de 2018, o Conselho de Ministros aprovou o plano de aquisição de 22 comboios regionais para a CP, no valor de 168,21 milhões de euros, tendo o ministro da tutela considerado, na altura, que este “é um marco histórico”. Na conferência de imprensa que decorreu após a reunião do Governo, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, disse que este “é um marco histórico para a CP” já que é “a primeira vez em cerca de 20 anos que a CP vai ter um plano de aquisição de novo material circulante”.

Pedro Marques adiantou ainda que a entrega do material circulante ocorrerá entre 2023 e 2026. Cerca de dois terços deste investimento serão suportados com fundos comunitários e o outro terço com financiamento do Fundo Ambiental, explicou o ministro do Planeamento e das Infraestruturas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CP recebe cinco candidaturas para fornecimento de comboios no valor de 168 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião