Airbus A380 vai ser descontinuado. Há 3.500 empregos em risco

  • Lusa e ECO
  • 14 Fevereiro 2019

A europeia Airbus vai deixar de fabricar o A380 em 2021, que é o maior avião de passageiros do mundo e concorre com o Boeing 747. Procura da cliente Emirates arrefeceu.

Um A380 ao serviço da Hi Fly aterrou no aeroporto de Beja em meados de 2018. O modelo vai ser descontinuado pela Airbus.HiFly

O grupo europeu Airbus anunciou que vai deixar de fabricar o avião A380 em 2021, depois de a companhia aérea Emirates, a principal compradora da aeronave, ter cortado nas encomendas e optado por outros modelos de longo curso mais ágeis e pequenos. A decisão põe em risco milhares de empregos.

Até agora, a Emirates deveria ter recebido um total de 162 unidades do A380. Mas vai comprar apenas 123 aviões deste modelo. Isto, depois de ter assinado um novo contrato com a Airbus para adquirir 40 unidades do A330-900 e 30 unidades do A350-900. Cerca de 3.500 pessoas ficam em risco de ir para o desemprego, sublinhou o The Wall Street Journal (acesso pago).

Em comunicado, o presidente executivo da Airbus, Tom Enders, explicou que não existe “uma carteira de pedidos substancial do A380 e, portanto, não há base para suportar a produção do A380, apesar de todos os esforços de vendas” realizadas junto de outras companhias aéreas nos últimos anos. “Isso leva-nos a finalizar as entregas do A380 em 2021”, concluiu Enders.

O A380 é o maior avião comercial do mundo. Em julho do ano passado, um avião deste modelo, ao serviço da companhia aérea portuguesa HiFly, aterrou nem Portugal, no aeroporto de Beja. A infraestrutura no Alentejo é a única no país com pista aérea suficiente para suportar a aterragem de um avião com estas características.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Airbus A380 vai ser descontinuado. Há 3.500 empregos em risco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião