Nova plataforma de pagamentos da SIBS já em testes. Já tem 18 bancos aderentes

A SIBS lançou o SIBS API Market, a primeira plataforma nacional de OPEN API que agrega 18 bancos nacionais. Infraestrutura dá acesso a 95% das contas bancárias nacionais.

A SIBS lançou uma plataforma de pagamentos que irá mudar o paradigma da relação dos clientes bancários com os pagamentos. A SIBS API Market vai permitir que a partir de setembro entidades terceiras possam ter acesso a dados financeiros dos clientes bancários que para tal deem o seu aval. Já em fases de testes, com 18 instituições financeiras aderentes, outros bancos que pretendam aderir à plataforma têm agora até 13 de março para o fazer.

“A partir de hoje, num ambiente de sandbox (testes), qualquer PSP (prestador de serviços de pagamentos) pode testar as ligações à infraestrutura e às API portuguesas definidas pela diretiva PSD2, de 1) consulta de saldos e movimentos, 2) iniciação de pagamentos e 3) consulta da disponibilidade de fundos”, refere a SIBS.

A entidade liderada por Madalena Cascais Tomé lembra que a criação desta plataforma contou com a colaboração de 18 entidades financeiras de referência nacional que já aderiram à SIBS API Market, conjunto que abrange 95% do universo de contas bancárias existentes em Portugal. Outras entidades financeiras que pretendam aderir à plataforma têm agora até ao próximo dia 13 de março para o fazerem.

“Este dia marca um novo ciclo na história dos pagamentos e dos serviços financeiros em Portugal”, diz Madalena Cascais Tomé, acrescentando que o desenvolvimento do SIBS API Market foi um grande desafio, mas acima de tudo uma oportunidade”.

Esta plataforma da SIBS vem dar corpo às novas regras da diretiva europeia PSD2, que permite a entrada de novos operadores no mercado e eventualmente reforçar as inovações tecnológicas nos serviços de pagamento.

Para já, e até 13 de março, a nova plataforma estará em ambiente onde os developers podem iniciar os trabalhos de integração com as API’s, funcionando com base em dados fictícios e sem estar ligada aos sistemas dos bancos. Já a partir de 13 de março estará disponível em ambiente de teste dos bancos e em ambiente de produção com acesso a sistemas de produção de bancos e dados reais.

Só a partir de 14 de setembro, arranca a disponibilização de API para os meios de pagamento específicos de Portugal, passando a permitir, por exemplo pagamentos de serviços, pagamentos ao Estado e carregamento de telemóveis.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nova plataforma de pagamentos da SIBS já em testes. Já tem 18 bancos aderentes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião