Autoeuropa começa a produzir peças para carros elétricos da VW já em maio

  • ECO
  • 4 Março 2019

A fábrica de Palmela integra o plano de transformação da frota do gigante alemão, que pretende vender os primeiros carros elétricos de larga produção entre o final de 2019 e início de 2020.

É já em maio que a Autoeuropa vai começar a produzir componentes para os novos automóveis elétricos da Volkswagen, tais como para-lamas, capots e tampas da torre do amortecedor. A fábrica de Palmela integra, assim, o plano de transformação da frota do gigante automóvel alemão, que pretende vender os primeiros carros elétricos de larga produção entre o o final deste ano e o início de 2020.

De acordo com o Diário de Notícias (acesso pago), a fábrica portuguesa está para já fora dos planos de reconversão para a montagem dos novos automóveis. Durante os próximos anos, a produção de peças será mesmo a única forma da Autoeuropa estar presente na estratégia de eletrificação do Grupo Volkswagen.

As três peças que passam a ser produzidas em Palmela vão fazer parte do ID, o primeiro modelo do grupo alemão que irá utilizar a plataforma MEB, exclusiva para automóveis elétricos, e ainda do ID Crozz, o primeiro utilitário desportivo elétrico (SUV), que começará a ser montado a partir de maio do próximo ano.

Os para-lamas, capots e tampas da torre do amortecedor serão produzidos pela unidade de prensas de Palmela que, no ano passado, produziu 20,3 milhões e peças e faturou 23,07 milhões de euros com este material. Nesta área, há uma equipa de 340 trabalhadores que fabrica peças para vários modelos do Grupo Volkswagen, inclusive para as marcas Audi, Porsche ou Seat.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Autoeuropa começa a produzir peças para carros elétricos da VW já em maio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião