Europa no vermelho após chumbo ao Brexit

As bolsas europeias abriram em terreno negativo, no rescaldo da derrota do acordo do Brexit no Parlamento britânico.

As bolsas europeias abriram no vermelho. O sentimento é negativo um dia depois do chumbo ao novo acordo do Brexit no Parlamento britânico, um desfecho que aumentou a incerteza em torno do processo de saída do Reino Unido da União Europeia. Nos destaques do dia, pela negativa, estão a Inditex e a Adidas, com quedas expressivas depois de terem apresentado resultados que desapontaram os investidores.

Num dia em que o Stoxx 600 cai 0,1% e o índice britânico FTSE recua 0,2%. As perdas estende-se aos índices alemão, francês e italiano, face à incerteza causada por mais uma derrota da primeira-ministra britânica, que abre caminho a uma série de outras votações que terão lugar esta semana. O português PSI-20 regista perdas marginais de 0,07%, pressionado pelo setor energético.

A EDP apresentou na terça-feira o novo plano estratégico, que inclui vendas de ativos e um investimento de 12 mil milhões de euros em energias renováveis, redes e soluções de gestão de energia e de clientes, alinhando com as principais ideias do novo acionista, o fundo Elliott Management, do investidor ativista norte-americano Paul Singer. A elétrica prolonga as perdas registadas na sessão passada e está a desvalorizar 0,34%, para 3,236 euros.

Também a Galp Energia está a pressionar o desempenho do índice português. No dia em que a acionista Amorim Energia anunciou a nova proposta de composição da comissão executiva, que inclui nomes como o de Adolfo Mesquita Nunes, dirigente do CDS, e Sofia Tenreiro, ex-diretora da Cisco Portugal, a petrolífera derrapa 0,39%, para 14,03 euros.

Em sentido inverso, o banco BCP está a travar as perdas em Lisboa. A empresa liderada por Miguel Maya valoriza 0,31%, para 22,41 cêntimos. O melhor desempenho da sessão está a ser registado pela Corticeira Amorim, que valoriza 1,31% para 10,8 euros cada título.

Evolução do índice português PSI-20

Inditex e Adidas afundam. Resultados dececionam

No cenário europeu, há duas empresas que estão em destaque — e não pelos melhores motivos. Tratam-se da Inditex, dona da Zara, e da Adidas. Ambas apresentaram resultados e perspetivas que dececionaram os investidores.

As ações da Inditex estão a derrapar 4%, depois de a empresa ter revelado alguns indicadores que ficaram abaixo do que era previsto pelos analistas um guidance que está a ser considerado fraco. Isto apesar de os lucros terem subido para um novo recorde de 3.444 milhões de euros.

Os títulos da Adidas estão a caminhar no mesmo sentido, e por motivos relativamente semelhantes. A conhecida marca de calçado e vestuário cai 5% em bolsa, depois de ter revelado que as vendas no primeiro semestre fiscal foram penalizadas por problemas na cadeia de fornecimento, sobretudo no importante mercado da América do Norte.

O sentimento negativo em torno destas empresas está a contaminar o setor. As ações da Puma estão a cair 1%.

(Notícia atualizada pela última vez às 8h38)

Comentários ({{ total }})

Europa no vermelho após chumbo ao Brexit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião