Novo Banco precisa de “coragem” para lidar com créditos mediáticos, diz comissão de acompanhamento

José Rodrigues de Jesus falou em "nomes de estimação" que são devedores do banco e que por serem "casos mediáticos" o Novo Banco ainda não os resolveu. "Será preciso coragem", disse.

O presidente da comissão de acompanhamento da venda do Novo Banco ao fundo Lone Star, José Rodrigues de Jesus, falou em “nomes de estimação” que são grandes devedores do banco liderado por António Ramalho e que por serem “casos mediáticos” ainda não foram resolvidos.

Mas estes “casos um dia terão de ser tratados” e “vai ser preciso coragem para tratar de alguns”, afirmou José Rodrigues de Jesus durante a audição os deputados da comissão de orçamento, finanças e modernização administrativa.

O responsável recusou-se a identificar quais são estes dossiês em concreto, dizendo que apenas que são comuns à Caixa Geral de Depósitos (CGD) e BCP — Mariana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda, ainda lançou alguns nomes como Joe Berardo ou grupo Lena. “Tenho de deixar algum enigma nisso”, respondeu o presidente da comissão de acompanhamento perante a insistência dos deputados.

José Rodrigues de Jesus questionou-se por que razão ainda não foram tomadas decisões sobre estes ativos, alinhando-se com a visão dos deputados.

“São casos em que é preciso tratar por causa dos nomes. Também faço estas perguntas. Temos lá casos que não andam lá a fazer nada. Para que é que andamos à volta disso? É preciso ter coragem para enfrentá-los”, frisou.

Comentários ({{ total }})

Novo Banco precisa de “coragem” para lidar com créditos mediáticos, diz comissão de acompanhamento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião