Não há duas sem três: Google vai ser multada outra vez

Em dois anos, a Google pagou 7.000 milhões de euros em multas a Bruxelas por práticas lesivas da concorrência. Na próxima semana, será alvo da terceira. Desconhece-se o montante.

A Comissão Europeia vai anunciar mais uma multa à Google na próxima semana. Desta vez, Bruxelas terá concluído que a empresa abusou da posição dominante com o serviço de publicidade digital AdSense. A notícia foi avançada pelo Financial Times (acesso pago), que cita três fontes próximas do caso. Não se conhece o montante.

Este é mais um capítulo no diferendo entre as autoridades europeias e a multinacional norte-americana. Só nos últimos dois anos, a empresa já pagou 7.000 milhões de euros em multas, na sequência de condenações ligadas a práticas anticoncorrenciais.

Desta vez, a investigação focou-se no serviço AdSense, que permite a qualquer pessoa ou empresa monetizar uma página que tenha na internet, através da inclusão de espaços de publicidade que são, depois, explorados pela multinacional. Segundo explica o jornal, o problema estará na publicidade que é mostrada nas caixas de pesquisa da Google que podem ser embutidas em qualquer site e que também são usadas para mostrar anúncios.

A investigação é da responsabilidade da comissária Margrethe Vestager, que tem a pasta da Concorrência. Em 2018, Vestager obrigou a Google a pagar 4,3 mil milhões de euros por abuso de posição dominante com o sistema operativo Android. No ano anterior, aplicou uma multa de 2,4 mil milhões de euros à mesma empresa, por favorecer os seus próprios serviços de comércio em detrimento dos concorrentes no conhecido motor de busca.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Não há duas sem três: Google vai ser multada outra vez

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião