Lei com 184 anos proíbe trotinetas elétricas no Reino Unido. Vai ser modernizada pelo Governo

Uma lei datada de 1835, que indica que os passeios são para uso exclusivo dos peões, é a principal barreira à entrada das trotinetas elétricas no Reino Unido. Mas vai ser revista pelo Governo.

A proibição das trotinetas elétricas no Reino Unido resulta de uma lei com 184 anos que vai ser modernizada pelo Governo britânico. O Executivo de Theresa May prepara-se para levar a cabo uma revisão das leis que regulam a mobilidade no país, que, no limite, poderá abrir caminho à entrada do fenómeno em cidades como Londres.

São inexistentes as empresas de trotinetas elétricas na capital britânica. E a cidade ainda está longe de, algum dia, vir a acolher empresas de partilha de trotinetas. Mas a proibição pode vir a ser reconsiderada pelo poder político no futuro. Até porque resulta de uma lei datada de 1835, que vai ser revista e que estipula que os passeios são para uso exclusivo de peões, explica a Bloomberg (acesso pago).

A intenção do Governo é modernizar a legislação existente, naquela que será a “maior revisão legislativa desta geração”. O Governo também pretende lançar um programa de investimento de 90 milhões de libras para financiar projetos-piloto na área da mobilidade.

“Estamos num momento potencialmente crucial para o futuro dos transportes, com tecnologias revolucionárias a criarem enormes oportunidades. Através desta estratégia, o Governo pretende tirar partido destas inovações”, disse o ministro britânico dos Transportes, Jesse Norman.

Fonte oficial do Governo descartou à Bloomberg a possibilidade do Executivo vir a legislar no sentido de enquadrar as trotinetas elétricas partilhadas: “Atualmente, não existem planos para avançar com legislação para legalizar as trotinetas elétricas”.

Comentários ({{ total }})

Lei com 184 anos proíbe trotinetas elétricas no Reino Unido. Vai ser modernizada pelo Governo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião