Petróleo aproxima-se dos 70 dólares. Mas Galp perde 2% e pressiona bolsa

Crude avança mais de 1% e está em máximos do ano perto da fasquia dos 70 dólares. Ainda assim, as ações da Galp desvalorizaram mais 2% e pressionaram a bolsa de Lisboa.

A Galp foi uma das perdedoras do dia na bolsa de Lisboa, ao ver a cotação cair mais de 2%, isto apesar da valorização do barril de petróleo para máximos do ano, perto da fasquia dos 70 dólares. E com o mau desempenho da petrolífera a praça portuguesa caiu pela primeira vez esta semana.

O PSI-20, o principal índice português, perdeu 0,66% para 5.265,52 pontos. Foram dez as cotadas a fechar abaixo da linha de água, com destaque para a Galp: os títulos da companhia petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva perderam 2,11% para 14,41 euros. Em sentido contrário, o barril de Brent, negociado em Londres, está a valorizar 0,83% para 68,17 dólares, a cotação mais elevada desde novembro do ano passado.

Ainda entre os pesos pesados nacionais, o BCP pressionou, ao fechar em baixa de 0,82% para 0,2291 euros, acompanhado da Jerónimo Martins (-0,71%) e as duas energéticas da família EDP: a EDP caiu 0,36% e a EDP Renováveis cedeu 0,58%.

Do lado positivo, a Pharol voltou a ser a estrela da sessão lisboeta com uma subida de 3,66% para 0,2125 euros — já ontem as ações da cotada liderada por Palha da Silva tinham disparado mais de 7%.

Galp perde mais de 2%

Lisboa acompanhou as perdas europeias. O índice de referência Stoxx 600 cedeu 0,78%. O IBEX-35 de Madrid perdeu 0,91%. Em Paris e Milão, as quedas foram de 0,8% e 0,47%, respetivamente.

“As bolsas europeias encerraram em baixa, numa sessão marcada sobretudo pela expectativa em relação à reunião da Fed e pela reação dos investidores a notícias empresariais“, referem os analistas do BPI.

De facto, o setor automóvel foi fortemente abalado pelos receios relativos aos aparentes recuos que as negociações sino-americanas sofreram, bem como pela queda das ações da BMW. A fabricante alemã alertou que estima que o lucro antes de impostos deverá descer 10% em 2019″, acrescentaram.

O DAX-30 alemão perdeu 1,48% com os títulos da BMW a afundarem quase 5% para 71,98 euros.

(Notícia atualizada às 17h00)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Petróleo aproxima-se dos 70 dólares. Mas Galp perde 2% e pressiona bolsa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião