Espanha multa 15 empresas em 118 milhões de euros por formação de cartel na ferrovia

O regulador espanhol sancionou 15 empresas do setor ferroviário por estas terem partilhado concursos públicos, formando cartéis, durante 14 anos.

A Comissão Nacional de Mercado e Concorrência (CNMC) espanhola aplicou uma multa de 118 milhões de euros a 15 empresas do setor ferroviário por formação de cartel. Em causa estarão 14 anos durante os quais algumas das maiores empresas do setor, partilhavam entre si os concursos públicos convocados pela Adif (gestora de infraestruturas ferroviárias do Estado espanhol), avança o Cinco Días (conteúdo em espanhol).

Durante 14 anos, estas empresas criaram vários cartéis nos concursos do AVE e do comboio convencional. Por esta razão foi-lhes imposta, no seu conjunto, uma sanção de 118 milhões de euros, e aos gestores responsáveis por tais condutas uma sanção total de 666 mil euros“, informou a autoridade espanhola da concorrência, em comunicado, citado pelo jornal espanhol.

Em causa estarão acordos criados para partilhar os concursos públicos para a construção, fornecimento, instalação e manutenção dos sistemas elétricos e linhas ferroviárias, mas também no fornecimento de equipamentos para a alta velocidade, explicou a CNMC. Envolvidas estão algumas das maiores empresas do setor ferroviário, tais como a ACS, Sacyr, Indra, Siemens, OHL, Isolux e Abengoa.

O caso foi descoberto após uma denúncia da francesa Alstom, que acabou por se livrar de uma multa de 8,9 milhões de euros, “salva” pelo regime de clemência. As multas mais elevadas foram aplicadas à Cobra (27,2 milhões de euros), Elecnor (20,3 milhões de euros) e Siemens (16,8 milhões de euros).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Espanha multa 15 empresas em 118 milhões de euros por formação de cartel na ferrovia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião