Negociações comerciais animam Wall Street. Dona da Calvin Klein sobe quase 15%

O início de uma nova ronda de negociações entre a China e os EUA animou as bolsas norte-americanas, mas os sinais de um abrandamento da economia travaram maiores ganhos.

A nova ronda de negociações entre os Estados Unidos e a China, iniciada nesta quinta-feira, animou os investidores em Wall Street. As bolsas norte-americanas fecharam a sessão em terreno verde, mas as preocupações com o abrandamento da economia continuaram a pesar, travando maiores ganhos.

Dados divulgados pelo Departamento do Comércio norte-americano mostraram que a economia dos Estados Unidos travou mais do que o previsto anteriormente no quarto trimestre de 2018, o que representa mais um sinal negativo para o início de 2019. Ainda assim, e apesar desta revisão em baixa, o crescimento anual manteve-se nos 2,9%, que é o maior desde 2015.

As notícias de que a China avançou com novas propostas para as conversações com os EUA ajudaram a impulsionar os principais índices norte-americanos, que registaram ganhos. O industrial Dow Jones ganhou 0,35% para 25.715,22 pontos, bem como o S&P 500, que subiu 0,35% para 2.815,32 pontos. O tecnológico Nasdaq avançou 0,33% para 7.668,58 pontos.

A Boeing, uma das empresas mais sensíveis às negociações comerciais, avançou 0,06% para os 374,44 dólares. O grupo PVH, que detém marcas como Tommy Hilfiger e Calvin Klein, foi uma das cotadas que brilhou nesta sessão, depois de ter apresentado previsões para o ano acima do esperado. Subiu 14,76% para os 127,26 dólares.

Comentários ({{ total }})

Negociações comerciais animam Wall Street. Dona da Calvin Klein sobe quase 15%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião