Três anos depois, Founders Founders chega a Lisboa e a Barcelos

Incubadora portuense fundada por fundadores celebra terceiro aniversário e anuncia multiplicação da rede: ao Porto juntam-se Lisboa e Barcelos.

Não há duas sem… três. A Founders Founders, casa-incubadora no centro do Porto criada há três anos, prepara-se para crescer. O projeto, fundado por fundadores, vai expandir para duas novas localizações, crescendo para Lisboa e para Barcelos, confirmou a incubadora.

“São mais um momento relevante na nossa história. Fazem parte da nossa estratégia de crescimento e juntam-se, em larga medida, à ambição dos nossos parceiros nestes dois projetos”, esclarece fonte da incubadora em comunicado.

A casa de Lisboa, que será inaugurada durante o segundo trimestre de 2019, será em plena baixa da cidade. Com 1.000 metros quadrados, o espaço “segue o modelo de fundação da Founders Founders: empreendedores que promovem a criação da sua comunidade”, e será liderado por Nuno Brito Jorge (GoParity) e Carmen Estevez. As inscrições para empreendedores que queiram ocupar parte do espaço estão abertas, num momento em que 25% do espaço já está pré-reservado.

Já a Founders Founders de Barcelos será feita através de um programa de ativação de comunidades de empreendedorismo, o “Founders Founders Ignite”. “Encontramos um município com uma ambição muito grande de criar dinâmicas que juntem o tecido empresarial e industrial, que é muito forte, aos novos fazedores e às novas formas de criar negócios de elevado potencial de crescimento”, explica o Founders. “Barcelos teve a determinação de avançar para um projeto de ignição em que serão promovidos dezenas de eventos, partilhadas competências, ativada a colaboração entre pares com toda a rede Founders Founders, enquanto são apoiados vários projetos de empreendedorismo e inovação”, adianta ainda a incubadora.

Projeto da FoundersTV foi apresentado no início de julho de 2017. Conversas são gravadas na cafetaria da incubadora do Porto.Founders Founders

“Passámos por vários ciclos de aprendizagem nos últimos três anos, sempre com o objetivo de aprender a criar uma comunidade que funcione entre pares e que seja capaz de ligar todos com todos: fundadores, especialistas, investidores, jornalistas, e os vários atores que constroem as redes de empreendedorismo”, explica fonte da incubadora em comunicado.

Com mais de 150 eventos promovidos nos últimos três anos — entre os quais se destacam o “Founder Meets Founder”, o “Incinerator” ou a Boom Massive Growth Week –, a incubadora não pode negar o crescimento do Founders Fund (o projeto que junta fundadores, especialistas e investidores de todo o mundo, que conta com mais de de 300 pessoas), sobretudo na dinâmica criada ao longo dos anos na residência do Porto.

A Founders conta atualmente com 15 startups residentes na casa da rua da Constituição, no Invicta, onde trabalham cerca de 150 pessoas. Estas empresas angariaram mais de 10 milhões de euros e cerca de 65% da faturação total resulta de exportações para a Europa, Estados Unidos, América latina e para os Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Três anos depois, Founders Founders chega a Lisboa e a Barcelos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião