Novo Banco é o mais exposto à queda de Pereira Coutinho

  • ECO
  • 3 Maio 2019

A exposição dos bancos à dívida da SAG e da SIVA ronda os 232,5 milhões, surgindo o Novo Banco no topo da lista. O banco detém 109,9 milhões de euros dos créditos reclamados.

O Novo Banco é a instituição financeira mais exposta à queda das empresas de Pereira Coutinho. Quase metade dos 232,5 milhões de euros dos créditos bancários agregados reclamados pela banca na SAG e na SIVA são daquele banco, avança o Jornal de Negócios (acesso pago) esta sexta-feira.

O jornal explica que a dívida agregada da SAG e da SIVA aproxima-se dos 600 milhões de euros, tendo os acionistas perdoado 253,3 milhões e a banca 116 milhões.

A exposição dos bancos ronda os 232,5 milhões, surgindo o Novo Banco no topo da lista. O jornal adianta que o banco detém 109,9 milhões de euros dos créditos reclamados, valor que corresponde a 47% do total. Segue-se o BCP que reclama 70,5 milhões, a CGD com 36,5 milhões e o BPI com 15,5 milhões.

Para permitir que o grupo continue a importar e a vender carros do grupo Volkswagen em Portugal (negócio a vender à Porsche Holding), além de ter perdoado 116 milhões de euros à SIVA e à SAG, os bancos acordaram não só em prorrogar o prazo das contragarantias existentes, como em conceder novas garantias, a vigorar até 31 de dezembro próximo.

Comentários ({{ total }})

Novo Banco é o mais exposto à queda de Pereira Coutinho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião