Trump dá terceira pior sessão do ano a Lisboa. Bolsa recua 1,45%

Donald Trump anunciou o aumento das tarifas sobre os produtos chineses e provocou um autêntico trambolhão nos mercados, tanto nas praças asiáticas como nos índices da Europa. Lisboa não foi exceção.

A primeira negociação da semana arrancou com quebras e acabou ainda pior, com 17 das 18 cotadas no vermelho. Trump anunciou o aumento das tarifas sobre os produtos chineses e provocou um autêntico trambolhão nos mercados, tanta nas praças asiáticas como nos índices do Velho Continente. Lisboa não foi exceção, tendo concretizado aquela que foi a terceira pior sessão do ano.

O PSI-20 desvalorizou 1,45% para 5.301,3 pontos, com 17 das 18 cotadas em queda. Apenas a Ramada resistiu à maré de pessimismo, somando 0,26% para 7,72 euros.

Na origem desta queda está o anúncio do presidente dos Estados Unidos da América, que afastou as esperanças em torno do alcance de um acordo comercial entre as duas maiores economias do mundo. Este domingo disse que as tarifas de alguns produtos chineses iam subir para 25%. Os novos preços entram em vigor na sexta-feira e significam uma agravamento face aos 10% suportados até agora.

Na sequência destas declarações a praça chinesa registou uma forte queda, mas não foi a única. Também no continente europeu, Donald Trump fez mossa, com a generalidade dos índices a apresentarem desvalorizações significativas. O Stoxx 600 recuou 0,94%, enquanto o espanhol IBEX desvalorizou 0,73% e o francês CAC perdeu 1,18%.

Por cá, a liderar as perdas, esteve a Mota-Engil, que recuou 2,60% para 2,252 euros, e, também, o BCP, que perdeu 2,50% para 0,25 euros.

Bolsa em queda

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trump dá terceira pior sessão do ano a Lisboa. Bolsa recua 1,45%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião