Ramo de manutenção da TAP investe na ampliação de oficinas e estima fechar ano com mais 40 milhões de receita

Manutenção da TAP em Portugal tem em curso ampliação da oficina e estuda aumento dos hangares para reforçar oferta de serviços. Certificação com autoridade chinesa ainda "pode demorar meses".

O ramo de manutenção e engenharia da TAP em Portugal está a estudar hipóteses para ampliar as suas infraestruturas no aeroporto Humberto Delgado, única forma de reforçar a capacidade de resposta numa altura em que a companhia aérea está a aumentar a frota e a procura por terceiros dos serviços de manutenção está a crescer de forma pronunciada.

“Estamos a estudar um projeto para ampliação de slots de hangar. No caso dos motores, e porque fisicamente também estamos a atingir o limite da nossa capacidade, temos em curso um estudo que passa pela ampliação da nossa oficina de motores”, apontou fonte oficial da companhia aérea em declarações ao ECO. Estas duas ampliações, ainda sem timingou verbas previstas de investimento, permitirão aumentar em 40% a 50% a “oferta” da Manutenção e Engenharia da TAP (ME), acrescentou a mesma fonte.

Atualmente, as instalações da ME apresentam uma área total de 71,2 mil metros quadrados no aeroporto de Lisboa, contando com três hangares com capacidade para três wide body [aviões com dois corredores] ou cinco narrow body [um único corredor].

A prestação de serviços de manutenção a terceiros da TAP foi o segmento de negócio da transportadora aérea que mais cresceu em 2018, tendo conseguido um aumento nas receitas de 55,4% ao longo do ano, de 145,5 milhões para 226,2 milhões de euros. Mas agora a empresa enfrenta limitações físicas para continuar a registar crescimentos significativos, estando agora a estudar como as contornar.

Tal como o ECO noticiou no final de abril, a análise feita pela TAP ao potencial de crescimento da M&E Portugal mostrou que este vai ser amputado já este ano “pela redução de atividade de manutenção de aeronaves para terceiros por ausência de slots, devido ao crescimento da frota da TAP”. Ainda assim, a companhia aérea “aponta para a continuação de um crescimento significativo no negócio de motores”, num crescimento que avalia em cerca de 20% face a 2018. Em termos reais, representa um salto nas receitas “na ordem dos 40 milhões de euros”, detalhou a TAP.

A companhia aérea aumentou a sua frota de 90 para 96 aviões ao longo do ano passado, com esta evolução a ser principal “restrição” ao crescimento da oferta da manutenção de serviços de MRO — manutenção, reparação e revisão — para terceiros, já que obriga a “sacrificar” mais espaços para a manutenção da própria frota, limitando a oferta a outros.

Em termos de serviços de manutenção Célula [fuselagem] a nossa limitação prende-se com o crescimento da nossa frota e a limitação de slots de hangar”, apontou a empresa ao ECO.

Aposta a Oriente: Participar em eventos e certificação na China

Além do investimento na ampliação dos hangares e dos serviços de manutenção de motores, o que lhe permitirá reforçar a fidelização dos clientes atuais, além de alargar a base dos mesmos, o ramo de manutenção da TAP tem um outro vetor na sua estratégia de crescimento: a intenção de entrar no mercado asiático, depois de ter identificado “um bom potencial” na região Oriente.

Com este objetivo, a companhia aérea avançou com um pedido de certificação dos seus serviços de manutenção de aviões junto da autoridade de aviação da China, mas conta igualmente reforçar a sua presença nas feiras internacionais da especialidade que se realizem na Ásia.

Sobre o pedido de certificação na China, a empresa apontou ao ECO estar neste momento em fase de pedidos de esclarecimento com a CAAC — Civil Aviation Administration of China –, de modo a evitar quaisquer incorreções no processo. “Neste momento, estamos numa fase de esclarecimentos com a autoridade chinesa, de modo a que quando submetermos o nosso pedido, o mesmo não enferme de incorreções”, avaliando que este processo poderá “demorar alguns meses”.

Já para se fazer conhecida em outros mercados, o primeiro passo será o de reforçar a participação em feiras, acrescentou a TAP. “Para já, reforçar a nossa presença em eventos MRO de modo a darmo-nos a conhecer e aos serviços que prestamos”, disse fonte oficial.

Comentários ({{ total }})

Ramo de manutenção da TAP investe na ampliação de oficinas e estima fechar ano com mais 40 milhões de receita

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião