Seis meses de licença parental são realidade na Volvo

  • Ricardo Vieira
  • 10 Maio 2019

Homens e mulheres beneficiam da licença com pagamento a 80%. Projeto piloto avança na região EMEA, mas pode vir a ser alargado a 43 mil colaboradores em todo o mundo.

A Volvo Cars anunciou o alargamento das licenças de parentalidade para os seis meses, um programa aplicável a todos os colaboradores (homens e mulheres) da região EMEA (Europa, Médio Oriente e Africa). Durante o período de licença é pago 80% do ordenado. A introdução desta medida insere-se num modelo piloto que poderá levar, mais tarde, ao seu alargamento mundial, podendo vir a beneficiar mais de 43 mil pessoas.

A iniciativa “é mais generosa e inclusiva que a maioria das licenças existentes na Europa e a primeira deste tipo dentro do setor automóvel”, refere a empresa em informação enviada à imprensa, explicando que “esta nova política global é inspirada pela legislação existente na Suécia, país de origem da Volvo Cars, e nação que se distingue pelas licenças de paternidade generosas da qual têm vindo a beneficiar milhões de pessoas ao longo das décadas mais recentes”.

“Somos uma empresa com uma cultura inclusiva e, nesse sentido, esta é uma de várias iniciativas que temos previsto com o objetivo de atrair e reter os nossos colaboradores. Esta medida melhora o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, aumenta o tempo com a família e adequa-se perfeitamente numa empresa com um espírito progressista e focado no ser humano. (…) Ser capazes de atrair e reter as melhores pessoas é crucial e sabemos que, os colaboradores mais talentosos são pessoas seletivas na escolha que fazem em relação ao seu empregador. Os vencedores desta luta pelo talento serão as empresas que valorizem a diversidade, práticas de trabalho flexível e moderno e o bem-estar dos seus colaboradores”, refere Hanna Fager, head of people experience da empresa.

Comentários ({{ total }})

Seis meses de licença parental são realidade na Volvo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião