Farfetch aposta na sustentabilidade. Vai vender malas em segunda mão

Chama-se Second Life e é uma plataforma de revenda de malas em segunda mão. Programa faz parte da estratégia de sustentabilidade do unicórnio fundado pelo português José Neves.

A Farfetch vai juntar-se a outras grandes marcas mundiais na luta pela sustentabilidade e acaba de lançar a Farfetch Second Life, um serviço de revenda de malas em segunda mão, como parte da estratégia. A ideia é que os clientes acedam à plataforma e possam trocar as suas malas usadas por crédito em compras no marketplace da plataforma para a indústria da moda de luxo.

O projeto é resultado do trabalho com um dos parceiros da Dream Assembly, aceleradora para startups de moda criada pela Farfetch em 2018 e que vai, este ano, na segunda edição.

“Os utilizadores terão que submeter informações e fotografias das malas que querem vender em secondlife.farfetch.com, que serão depois revistas pelo parceiro da Farfetch, que fará uma proposta de preço em apenas dois dias úteis. Se o preço for aceite, o cliente agenda um serviço de recolha gratuito e depois de receção e verificação do artigo, a Farfetch adiciona o valor acordado à conta do cliente, para que possa depois ser utilizado em compras na plataforma da Farfetch”, explica a empresa em comunicado.

O Farfetch Second Life é parte do Positively Farfetch, a nova marca de negócio sustentável da empresa. “A moda de luxo está cada vez mais relacionada com a moda sustentável e a revenda de artigos em segunda mão é uma área de interesse crescente por parte dos nossos clientes. Tal como o mercado de luxo online, o mercado de luxo em segunda mão também está a crescer muito rapidamente e é provável que duplique nos próximos cinco anos, atingindo os 51 mil milhões de dólares. Um programa de revenda de luxo como o Farfetch Second Life permite-nos entrar de imediato neste mercado e testar o interesse dos clientes da Farfetch neste tipo de serviço”, explica Giorgio Belloli, chief commercial and sustainability officer da Farfetch.

O programa de revenda de malas em segunda mão estará disponível para clientes do Reino Unido e de outros mercados europeus e os clientes poderão revender malas de 27 marcas, por agora.

Comentários ({{ total }})

Farfetch aposta na sustentabilidade. Vai vender malas em segunda mão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião