MainSide estreia-se na hotelaria e quer expandir conceito pelo país

Dona de projetos como a Pensão Amor ou o Lx Factory, a MainSide investiu agora num "novo conceito de hotelaria" no Porto. Expansão passa também por Coimbra e Lisboa.

A MainSide, dona da Pensão Amor e do Lx Factory e também responsável por projetos de restauração como o Casa de Pasto ou o Rio Maravilha, entrou num novo nicho de investimentos, com a criação do conceito Zero Hotels. Inspirado pelas caixas de madeira que, no século XVIII eram construídas por cima dos fornos nos países nórdicos — para que os habitantes dormissem mais perto de uma fonte de calor — e nos hotéis cápsula japoneses, o Zero Box Lodge — o primeiro da série — foi pensado para uma “dormida sem distrações” e “fora da box”.

O primeiro hotel da cadeia abriu no Porto, em novembro, e a expansão do conceito passa por projetos já aprovados em Lisboa e em Coimbra. “O Porto foi uma feliz coincidência. Entre vários projetos em desenvolvimento, o Porto foi a cidade que nos deu a hipótese de arrancar primeiro. Coincidência feliz por ser uma cidade carismática, com caráter e com uma diversidade cultural gigante entre visitantes e habitantes, que nos está a dar a oportunidade de evoluir o nosso conceito”, explica Frederico Morgado, responsável pelo espaço.

A ideia de criar o Zero Box Lodge surgiu na busca de um novo conceito de hotelaria mas também como uma solução para espaços diferentes. “O conceito surgiu com uma necessidade de habitar espaços incomuns, como mosteiros, garagens, ou, no caso do Porto, um edifício de escritórios que tem a particularidade de ter corredores muitos compridos e apenas cinco janelas na fachada exterior”, detalha. Por isso, e sendo o primeiro espaço de alojamento do grupo, o Box Lodge é também “uma experiência. “Está repleto de detalhes que os hóspedes e clientes podem explorar, assim como projetos culturais como o Free Room. É um projeto criado para ser vivido e contado”, esclarece o responsável.

Com “design simples”, a área de quartos tem como principal foco o desenho “desprovido do supérfluo”. “Pretendemos ser um espaço onde o conforto e o dormir se tornam o essencial. Tudo o resto pode ser feito nos restantes espaços do edifício e na cidade”, acrescenta.

Novo projeto, nova categoria

Considerado “um desafio” dentro do grupo que já tem investimentos na área do imobiliário e da restauração, a marca de alojamento não se enquadra nas categorias tradicionais de hotel, consideram os seus criadores. “Assim sendo, e ‘do zero’, criámos uma nova categoria — a de Box Lodge — para definir o nosso projeto”, considera Frederico Morgado.

Assinado pelo arquiteto Gonçalo Carvalho, todo o espaço do Zero — hotel, livraria, espaço de exposições, restaurante e rooftop — é explorado pela MainSide. No espaço trabalham 44 pessoas sendo o preço médio do Box Lodge entre 50 a 80 euros/noite. No restaurante do espaço, O Carniceiro, o preço médio é de 35 euros/pessoa.

Comentários ({{ total }})

MainSide estreia-se na hotelaria e quer expandir conceito pelo país

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião