Apps duas vezes mais rápidas e que ocupam até menos 50% de memória. Assim é o novo iOS 13 da Apple

O WWDC 2019, o evento anual para programadores da Apple, já começou e Tim Cook dá conta de todas as novidades que vêm aí, começando, desde logo, pelo novo iOS 13. Saiba o que vai mudar.

Tim Cook, presidente executivo da Apple, está no evento anual para programadores da Apple, o WWDC 2019 (Worldwide Developer Conference), e já apresentou algumas das grandes novidades da marca. Uma delas é o novo iOS 13, sistema operativo onde as apps vão passar a ocupar menos memória e vão ser mais rápidas.

“Nada é mais importante para os utilizadores de iOS do que a performance“, começou por dizer Tim Cook. A pensar nisso mesmo, a tecnológica decidiu tornar as aplicações mais “leves” e “rápidas”. Por um lado, as apps para o iOS vão ocupar até menos 50% de memória e, por outro lado, vão ser duas vezes mais rápidas, prometeu o líder da Apple.

Este sistema operativo móvel vai ter, também, um “modo escuro”, no qual as aplicações e os elementos gráficos ganham uma tonalidade próxima do preto. O objetivo é tornar a experiência de utilizar o smartphone durante a noite mais “confortável”. Alguns estudos afirmam até que um visual maioritariamente preto emite menos luz azul, nociva para o sono.

Ao nível das apps, Tim Cook apresentou outras novidades. Na aplicação Mapas, há mais oferta, com mapas mais pormenorizados e a opção de street view, que vai permitir explorar os lugares percorrendo as ruas, semelhante ao que já acontece no Google Maps. Já a Apple TV vai aparecer mais “personalizada” do que nunca.

A grande novidade nesta aplicação é que os utilizadores vão poder escolher criar vários utilizadores, à imagem do que já acontece na Netflix, por exemplo. Assim, a experiência será “para toda a família”, afirmou o presidente executivo da tecnológica.

Na Apple Music, onde estão mais de 50 milhões de músicas, vai ser possível, pela primeira vez, acompanhar a letra das suas canções preferidas, já que estas vão aparecer ao mesmo tempo que ouve a música. “É a melhor experiência musical em televisão”, disse Tim Cook. O reforço da Apple Music surge com a confirmação do encerramento do iTunes, substituído por três aplicações para música, TV e podcast.

Mas as mudanças anunciadas não ficaram por aqui. O iPhone vai receber mais ferramentas para personalizar os memojies e, recorrendo à inteligência artificial, vai organizar as fotografias, apagando as duplicadas.

Vem aí um “poderoso” Mac Pro. IPad recebe um sistema operativo próprio

Nos computadores de secretária, a grande novidade é o novo Mac Pro, que pode ter até 1,5 terabytes de memória interna expansível. Esta é uma versão pensada, especialmente, para quem utiliza os Mac para edição de vídeo e som, sendo possível editar em 8K. “É o Mac mais poderoso de sempre”, referiu Tim Cook, durante o evento. O preço do computador começa nos seis mil dólares, o equivalente a 5.300 euros.

Do iPhone ao Mac, só faltava mesmo falar no iPad. De acordo com a gigante tecnológica, estes aparelhos vão passar a ter um sistema operativo próprio, o iPad OS. “Chegou a hora de reconhecer o iPad como uma plataforma diferente”, disse Craig Federighi, especialista de computação da Apple.

Entre as principais novidades está a possibilidade de ligar uma pen USB ou um cartão SD diretamente ao aparelho, algo que foi muito aplaudido pelo público que assistia ao evento. Outra das novidades deste novo sistema operativo é que o Safari, browser da Apple, vai tornar-se mais semelhante à versão que os computadores da empresa possuem.

Apple Watch mais independente com novo sistema operativo

O Apple Watch também não ficou esquecido durante o WWDC 2019. Durante a apresentação, a Apple apresentou o novo sistema operativo para os seus relógios inteligentes. Agora, os utilizadores vão poder fazer o download das aplicações de forma mais fácil, sem depender de um iPhone, como ainda acontece.

A Apple Store chega, assim, a este relógio, que passa a ter mais funcionalidades. Haverá mais opção de escolha entre os vários mostradores (desde digitais a analógicos ou personalizados), bem como entre as braceletes. Ao nível das apps, vai ser possível, através do ecrã do relógio da Apple, fazer contas, gravar sons e aceder a audiobooks.

(Notícia atualizada às 20h30)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Apps duas vezes mais rápidas e que ocupam até menos 50% de memória. Assim é o novo iOS 13 da Apple

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião