Bruxelas lança investigação à Apple após queixa da Spotify

  • ECO
  • 6 Maio 2019

Spotify tinha feito uma queixa à UE alegando que a Apple abusou da posição dominante para favorecer o serviço de música próprio, o Apple Music. Concorrência vai abrir processo formal.

A União Europeia prepara-se para lançar uma investigação formal à Apple, por alegados incumprimentos de concorrência. O Financial Times (acesso condicionado e conteúdo em inglês) noticia esta segunda-feira que o processo será aberto no seguimento das acusações da plataforma de streaming Spotify contra a fabricante do iPhone.

A investigação intensifica a batalha sobre o futuro da indústria musical. A Spotify, que atingiu no mês passado os 100 milhões de subscritores pagos, é a líder de mercado no negócio de streaming. No entanto, a empresa tem enfrentado competição das gigantes tecnológicas como a Apple ou a Amazon.

Em março, a Spotify tinha feito uma queixa à UE alegando que a Apple tinha abusado da posição dominante na Apple Store para favorecer o serviço de música próprio, o Apple Music. A queixa foca-se na comissão de 30% cobrada pela Apple a fornecedores de conteúdos digitais pelo uso do seu sistema de pagamentos através da App Store. A política aplica-se não só aos clientes da Spotify, mas também a subscritores de outros serviços musicais, mas não a apps como a Uber.

Após ter analisado a queixa e contactado clientes, rivais e outros players do mercado, a autoridade da concorrência europeia decidiu lançar uma investigação formal à conduta da Apple, segundo confirmaram três fontes próximas ao FT. Contactados pelo jornal britânico, nem a Apple nem a Spotify quiseram comentar.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bruxelas lança investigação à Apple após queixa da Spotify

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião