Huawei vai vender negócio dos cabos submarinos

Sob pressão dos EUA, a Huawei terá decidido vender 51% do negócio de cabos submarinos a uma empresa chinesa de fibra ótica. Infraestrutura também serve Portugal e arquipélagos.

A Huawei vai vender uma posição de 51% no negócio de cabos submarinos à empresa chinesa de fibra ótica Hengtong Optic-Electric. O acordo, noticiado pela Reuters, terá sido assinado a 31 de maio pelas duas empresas, segundo mostram os documentos regulatórios submetidos em Xangai. O montante envolvido na transação não é conhecido.

Esta é a primeira grande movimentação da Huawei desde que foi colocada na lista negra das exportações nos EUA, uma medida da Administração Trump que está a ser vista como retaliatória contra o regime chinês em plena guerra comercial entre os dois países. A medida encontra-se, atualmente, suspensa.

A subsidiária Huawei Marine Systems detém cabos submarinos nos quatro cantos do mundo, incluindo nos arquipélagos portugueses e entre Portugal continental e o norte de África, assim como entre o Brasil e África equatorial, de acordo com dados recolhidos pelo The Wall Street Journal (acesso pago).

Infografia por The Wall Street Journal. Fonte: Huawei Marine e TeleGeography.

A empresa tem ainda cabos submarinos que ligam os EUA ao Reino Unido e terá planos para construir infraestruturas do mesmo género na América do Sul e até no mar Mediterrâneo.

A tecnológica chinesa tem estado sob pressão, acusada de ser um veículo de espionagem do regime comunista chinês através da tecnologia que foi instalado e disponibilizando nos quatro cantos do mundo. Concretamente, os cabos submarinos são uma importante infraestrutura, crítica para o funcionamento da internet e para a comunicação intercontinental, representando uma alternativa aos satélites.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Huawei vai vender negócio dos cabos submarinos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião