Liqui.do recebe financiamento de 150 milhões de euros da Goldman Sachs

Goldman Sachs aprova financiamento de 150 milhões à Liqui.do. A empresa portuguesa pretende ajudar as PME a modernizar os seus equipamentos de forma a expandirem os seus negócios.

A startup portuguesa Liqui.do conseguiu um financiamento de 150 milhões de euros do banco americano Goldman Sachs. De acordo com um comunicado de imprensa, no âmbito deste financiamento, 50 milhões de euros já estão disponíveis, estando a disponibilidade dos restantes 100 milhões sujeita à verificação de determinadas condições.

A Liqui.do que disponibiliza opções de aluguer de equipamentos a pequenas e médias empresas pretende usar este financiamento para ajudar PME a obter os equipamentos modernos que necessitam para fazerem crescer os seus negócios. A Liqui.do pretende recrutar este ano 20 novos profissionais para reforçar a sua área comercial e de desenvolvimento de software. A Liqui.do pretende igualmente chegar a novos mercados, investindo na melhoria da sua plataforma, tecnologia e oferta de produto.

Sérgio Nunes, CEO da Liqui.do, afirma que “este financiamento é um passo muito importante para a empresa”, porque permitirá à Liqui.do “apoiar mais PME nacionais, conferindo-lhes mais liquidez de modo a fazerem crescer os seus negócios”.

José Capitão, diretor de operações, destaca o crescimento da empresa e evidencia que, nos últimos três anos, a Liqui.do, que tem mais de 1000 fornecedores de equipamentos, ofereceu soluções de renting de 35 milhões de euros em equipamentos. “O investimento da Goldman Sachs permitir-nos-á injetar maior liquidez nas PME nacionais e facilitar o acesso a equipamento moderno que lhes ajudará a crescer”, acrescenta.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Liqui.do recebe financiamento de 150 milhões de euros da Goldman Sachs

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião