Berardo pondera chamar Constâncio como testemunha a seu favor no processo judicial

  • ECO
  • 17 Junho 2019

O empresário está analisar a possibilidade de chamar Vítor Constâncio como testemunha no processo judicial que a banca lhe moveu para recuperar 962 milhões de euros.

O empresário madeirense Joe Berardo está a ponderar chamar o ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, como testemunha no processo que a banca lhe moveu para recuperar 962 milhões de euros. De acordo com uma nota enviada ao Público, Berardo admite “seriamente arrolar como testemunha o dr.º Vítor Constâncio” no processo judicial.

Além do ex-governador do BdP, o empresário admite, ainda, chamar como testemunha outras “personalidades com responsabilidades nos diversos eventos ocorridos em 2007”.

A reação de Joe Berardo acontece na sequência das mais recentes declarações de Vítor Constâncio. O ex-governador do Banco de Portugal, que liderou esta entidade entre 2000 e 2010, veio defender que a Caixa Geral de Depósitos (CGD) “deveria ter tomado decisões antes de as ações terem começado a descer”, o que “não aconteceu”.

Questionado sobre o motivo pelo qual a Caixa não o fez, Constâncio afirmou, em entrevista ao programa 360º da RTP3, que não “essas decisões são da exclusiva responsabilidade dos órgãos de gestão da Caixa, como é evidente”. Também no fim de semana, ao Diário de Notícias e à TSF, o ex-governador disse que, “em qualquer momento, a Caixa podia travar o empréstimo, apropriar-se das ações que estavam em penhor e vendê-las”.

Recorde-se que, em maio, Joe Berardo, na Comissão Parlamentar de Inquérito à CGD, reforçou esta mesma ideia, dizendo que, se o banco público perdeu dinheiro foi porque não executou as ações do BCP, quando começaram a cair.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Berardo pondera chamar Constâncio como testemunha a seu favor no processo judicial

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião