Rui Rio apresenta três condições para negociar Lei de Bases da Saúde com o PS

O líder do PSD adiantou os três pontos que quer revisitar na discussão com o PS para aprovar a Lei de Bases da Saúde. A gestão do SNS é uma das áreas visadas.

A gestão e funcionamento do Serviço Nacional de Saúde (SNS), as matérias ligadas aos direitos dos cidadãos e o capítulo sobre saúde pública e bem-estar são os três pontos que o PSD quer revisitar na discussão com o PS sobre a Lei de Bases da Saúde. Depois de os socialistas mostrarem abertura para negociar com os sociais-democratas, Rui Rio apresenta agora as áreas essenciais para chegar a acordo.

“Estivemos a fazer um levantamento do que foi reprovado no grupo de trabalho e comunicamos ao PS que estamos disponíveis para revisitar as votações em três áreas fundamentais“, indicou o líder do PSD, em conferência de imprensa. “O PS que nos diga o que podemos adaptar da nossa proposta para existirem condições de colher o voto favorável” dos socialistas, apontou.

Rui Rio deixou a ressalva de que “não passa ou deixa de passar a lei só pela questão das Parcerias Público Privadas (PPP)”, que se inclui na área da gestão do SNS. Nesta matéria, sublinhou ainda que o objetivo do partido não é privatizar o SNS. “As PPP são uma exceção”, explica. “Se pode ser feito melhor e mais barato não deve existir um tabu ideológico a impedir a qualidade no SNS”, aponta o líder do PSD.

Além destes pontos, os sociais-democratas indicam ainda que, se a lei vier a ser votada favoravelmente, “a Assembleia da República tem depois de ajustar a unidade e coerência jurídica da lei”, já que o documento que sairá do grupo de trabalho será composto por vários “remendos”. “Não podemos correr o risco de o Presidente da República não promulgar a lei porque não tem qualidade”, reiterou.

(Notícia atualizada às 18h25)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Rui Rio apresenta três condições para negociar Lei de Bases da Saúde com o PS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião