Sound Particles vence bolsa. UE financia projeto da startup em 1,25 milhões

Startup que construiu software de som usado por produções responsáveis pelo "Game of Thrones" venceu bolsa europeia. Projeto de 1,78 milhões foi financiado quase na totalidade (1,25 milhões).

A startup portuguesa Sound Particles, que desenvolveu um software de som 3D usado por produções de Hollywood de nomes como “Game of Thrones” e “Batman versus Superman”, acaba de ser escolhida pela União Europeia. Tudo pelo projeto que a empresa, que faz parte do portefólio de investimento da Indico Capital, apresentou a concurso, que inclui um melhoramento do produto de software desenvolvido, assim como um número de iniciativas de negócio com o objetivo de atingir segmentos maiores de clientes.

A bolsa prevê um investimento europeu de 1,25 milhões de euros de um total de 1,78 milhões previstos no projeto.

O investimento de 70% face ao total previsto para o projeto foi atribuído pelo SME Instrument – Phase 2 program, uma iniciativa da Comissão Europeia para apoiar a pesquisa e o desenvolvimento de todos os tipos de inovação rumo à sua comercialização e que se desenvolve através de uma proposta pensada para escalar a empresa juntamente com fundos de capital de risco. O concurso é ainda o maior programa de apoio do mundo para financiar ciência e inovação.

“Com este financiamento, que serve de reconhecimento de um programa prestigiado, e com o apoio contínuo da Indico Capital, queremos acelerar este passo ambiciono de desenvolvimento da nossa plataforma, explica Nuno Fonseca, fundador e CEO da Sound Particles.

Já Stephan Morais, managing general partner da Indico, que liderou a ronda de 400 mil euros levantados pela startup no início do ano, explica que esta bolsa reforça um reconhecimento de uma instituição de “alto calibre” sobre o “proposta de valor e a inovação criada pela Sound Particles”. “Este financiamento vai permitir saltar uma ronda que dilua equity na empresa, criando valor para a companhia e para todos os seus shareholders“.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sound Particles vence bolsa. UE financia projeto da startup em 1,25 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião