Indico investe 3,25 milhões na startup europeia de micro mobilidade Tier

Fundo de capital de risco português participou na última ronda de financiamento da empresa, a mais rápida a atingir dois milhões de viagens na Europa.

A Indico investiu 3,25 milhões de euros na startup berlinense Tier, principal empresa europeia de micro mobilidade, na última ronda de investimento levantada pela empresa. Na startup já investiram um grupo de fundos europeus onde se incluem a Northzone, a Whitestar, a Point Nine, a Speedinvest, a Kibo Ventures e outros investidores, e o campeão de Fórmula 1 Nico Rosberg.

De acordo com a Indico, a empresa de trotinetas elétricas foi a mais rápida a atingir a marca dos dois milhões de viagens na Europa. Até ao momento, a empresa angariou mais de 30 milhões de euros.

Presente em 24 cidades, uma frota de dez mil trotinetas e um crescimento semanal de 20%, a startup é um dos principais players europeus em micro mobilidade e o seu negócio já é lucrativo nos principais mercados da empresa no norte da Europa.

“Estamos comprometidos em ajudar a mudar a forma como as pessoas se movem nas cidades, de maneira mais sustentável respeitando o meio ambiente. A Tier tem as métricas mais impressionantes da Europa. A capacidade de execução e expansão da equipa é ótima”, analisa Stephan Morais, managing general partner da Indico. Já Lawrence Leuschner, CEO da empresa, afirma que “a Tier é considerada a empresa que mais rápido cresceu na história da Alemanha, tendo demonstrado resultados exponenciais desde que iniciou suas operações em outubro do ano passado. Estamos muito satisfeitos em contar com a Indico como nossos investidores e parceiros nesta viagem”.

A novidade surge num momento em que a Tier anunciou um novo modelo de trotineta, com unidades “mais robustas, projetadas para durarem 12 meses em operação (mais do dobro da média do mercado)”, “com pneus maiores, melhor suspensão e alcance de 35 a 40 Km”. “Esses recursos combinados com travões mais potentes (incluindo um sistema elétrico em algumas variantes) contribuirão para melhorias de segurança significativas e mais conforto, em particular em cidades portuguesas”, sublinha a Indico em comunicado.

Lançado a 11 de janeiro, a Indico anunciou em maio a quinta ronda de investimento que liderou, naquela altura na plataforma de saúde digital Zenklub. A Indico Capital Parners, sociedade gestora do primeiro fundo de capital de risco independente em Portugal, tem 46 milhões de euros para investir em startups tecnológicas portuguesas e espanholas.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Indico investe 3,25 milhões na startup europeia de micro mobilidade Tier

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião