Petróleo supera os 60 dólares em Nova Iorque com corte de produção da OPEP

  • Lusa e ECO
  • 1 Julho 2019

Vladimir Putin combinou com a Arábia Saudita prolongar o acordo de corte da produção de petróleo, para suster as cotações da matéria-prima.

O preço do petróleo ultrapassou os 60 dólares nos EUA, após o anúncio de um acordo entre a Rússia e a Arábia Saudita para limitar a produção da matéria-prima.

O West Texas Intermediate (WTI), negociado no mercado norte-americano, segue a valorizar quase 3% para os 60,20 dólares, um máximo de maio. Deste lado do Atlântico, o Brent, negociado em Londres, soma 2,95% para os 66,66 dólares.

WTI supera os 60 dólares, Brent avança

No domingo o Presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que combinou com a Arábia Saudita prolongar o acordo de corte da produção de petróleo, para suster as cotações do crude da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

“Colocamo-nos de acordo. Vamos prolongar este acordo, a Rússia como a Arábia Saudita. Durante que período? Vamos refletir. Por seis ou nove meses. É possível que vá até aos nove meses”, declarou Putin aos jornalistas, à margem da cimeira do G20 que decorreu em Osaka, Japão.

O prolongamento deverá ser oficializado na terça-feira em Viena, durante uma reunião entre os ministros dos 14 Estados membros da OPEP, incluindo a Arábia Saudita, e os outros 10 parceiros liderados pela Rússia, que assinaram o acordo para cortar a produção de petróleo, para suster as cotações do barril de crude no mercado internacional.

A OPEP e os 10 aliados, que representam metade da produção mundial de petróleo, decidiram em dezembro cortar a atividade em 1,2 milhões de barris por dia e a estratégia funcionou, já que o preço do barril subiu cerca de 30% no primeiro trimestre, antes de estabilizar.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Petróleo supera os 60 dólares em Nova Iorque com corte de produção da OPEP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião