Títulos da Coleção Berardo já foram penhorados

  • ECO
  • 5 Julho 2019

A penhora surge depois de a CGD, o BCP e o Novo Banco, credores em mais de 900 milhões de euros de Berardo, terem avançado com uma ação executiva sobre 100% dos títulos da Associação Coleção Berardo.

Os títulos da Associação Coleção Berardo, proprietária das obras de arte cedidas ao Estado, dados aos bancos como garantia dos créditos a Joe Berardo para a compra de ações já foram executados, avança o Jornal Económico (acesso pago), nesta sexta-feira.

A penhora surge dois meses depois de a CGD, o BCP e o Novo Banco, credores em mais de 900 milhões de euros de Berardo, terem avançado com uma ação executiva sobre 100% dos títulos daquela associação.

O processo encontra-se agora em fase de contestação, tendo o empresário madeirense pedido ao tribunal um prazo adicional de 30 dias para contestar a penhora dos títulos, algo que o tribunal acedeu. Fica assim fixada em 23 de setembro a data-limite para que seja apresentada oposição à penhora.

De acordo com aquele semanário, a Associação Coleção Berardo entende que não estão arrestados 100% dos títulos, devido à alteração de estatutos e ao aumento de capital. Estas duas alterações ocorreram à revelia dos bancos credores.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Títulos da Coleção Berardo já foram penhorados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião