Cinco eurodeputados portugueses em vice-presidências de Comissões do Parlamento Europeu

  • Lusa
  • 10 Julho 2019

Os cinco eurodeputados portugueses desempenharão o cargo durante os próximos dois anos e meio, o que equivale a metade da legislatura da nova assembleia europeia.

Cinco eurodeputados portugueses foram eleitos vice-presidentes de Comissões do Parlamento Europeu (PE) para a primeira metade da legislatura da assembleia europeia, foi esta quarta-feira anunciado.

O eurodeputado do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN), Francisco Guerreiro, foi eleito primeiro vice-presidente da Comissão da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, ao somar 38 votos contra seis da candidata do grupo Identidade e Democracia, Maxette Pirbakas.

Já a socialista Margarida Marques ocupará o cargo de terceira vice-presidente da Comissão dos Orçamentos, ao ter sido eleita por aclamação, tal como aconteceu com o eurodeputado do Bloco de Esquerda José Gusmão, agora quarto vice-presidente da Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários, e com a também socialista Maria Manuel Leitão Marques, a nova quarta vice-presidente da Comissão do Mercado Interno e da Proteção dos Consumidores.

Já a social-democrata Cláudia Aguiar será a quarta vice-presidente da Comissão das Pescas ao recolher mais votos (19) do que a candidata do grupo Identidade e Democracia, Rosanna Conte (oito).

Os cinco eurodeputados portugueses desempenharão o cargo durante os próximos dois anos e meio, o que equivale a metade da legislatura da nova assembleia europeia (2019-2024).

Os vice-presidentes substituem os presidentes quando necessário, podendo presidir às reuniões das comissões parlamentares ou representá-las noutros fóruns.

As comissões parlamentares emendam as propostas legislativas, aprovando relatórios, propondo alterações para apreciação em sessão plenária e designando equipas para conduzir negociações com o Conselho sobre a legislação da União Europeia.

Aprovam também relatórios de iniciativa, organizam audições e examinam a atuação de outros órgãos e instituições da UE.

Na semana passada, o eurodeputado socialista Pedro Silva Pereira foi eleito vice-presidente do Parlamento Europeu.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Cinco eurodeputados portugueses em vice-presidências de Comissões do Parlamento Europeu

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião